Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Governo levou o investimento público aos mais baixos níveis das últimas décadas
Para Emídio Guerreiro esta foi uma opção política do executivo.
“Um Plano Nacional de Investimento é um instrumento relevante, importante, que modela as opções políticas para muito tempo. Merece um amplo debate. Deve fomentar a participação de todos na sua definição e obriga a consensos. Implica muito rigor nas suas opções, a todos os níveis, de forma a que possa ser realmente concretizado. Para isto o PSD está disponível. Como sempre. Aliás, foi isto que fizemos na aprovação do Plano que vigora até 2020 e que mereceu, na altura, um amplo consenso parlamentar.” Estas foram as palavras iniciais de Emídio Guerreiro, no debate do Programa Nacional de Investimentos 2030.
De seguida, o Vice-Presidente da bancada do PSD referiu que ao partirmos para a definição de um novo plano, é importante percebermos o que falhou. “Sim, muita coisa falhou para que a um ano do prazo do final do plano em vigor apenas 20 % esteja executado. Na Ferrovia 2020, reprogramada por este governo, em 2016 apenas 9% está em execução. Por mais que a atual maioria não goste, a verdade é que o abandono a que este governo votou o investimento público nesta legislatura é o principal responsável por esta execução diminuta. Foi uma opção política a de levar o investimento público aos mais baixos níveis das últimas décadas em 2016 e 2017.”
Tendo em conta este histórico, o social-democrata enfatizou que o PNI 2030 não pode ser um documento para esconder esta incapacidade de realizar. “É necessário que as opções sejam bem fundamentadas tecnicamente e que possuam rostos que sejam responsabilizados tecnicamente e financeiramente pelos projetos. E é ainda necessário saber e perceber o porquê da exclusão dos projetos que foram propostos e que estão ausentes deste plano. É fundamental um cronograma da execução física e financeira, ano a ano, que está ausente deste documento e que como tal mais não é que um ponto de partida para um processo que, na nossa opinião, está longe de concluído.”
A terminar, Emídio Guerreiro recordou que o PS quis precipitar e forçar este debate. “É a ele que cabe decidir se pretende prosseguir nesta pressa desenfreada ou ter a capacidade de fazer o que o governo não quis nem soube fazer: envolver o país numa decisão que condiciona as opções de investimento até 2030. Sem propaganda e sem propósitos eleitoralistas, mas apenas e só em nome do futuro de Portugal.”

31-01-2019 Partilhar Recomendar
31-01-2019
Programa Nacional de Investimentos 2030: Algarve volta a ter más notícias
    José Carlos Barros considerou “insultuosa” a ausência da região algarvia do plano para a ferrovia.
31-01-2019
“O que é que este governo tem contra as populações do distrito de Bragança?”
    Adão Silva afirmou que o Programa Nacional de Investimentos 2030 apenas contempla algumas “migalhas” para a região.
23-01-2019
Partidos da geringonça esqueceram-se do que reivindicaram e prometeram quando estavam na oposição
    Carlos Silva frisou que compete a estes partidos cumprir a palavra e resolver os problemas de acessibilidade e mobilidade em Vila Franca de Xira.
16-01-2019
CTT: PSD sublinha importância da fiscalização do contrato de concessão
    Joel Sá afirmou esperar que a ANACOM cumpra o seu papel de Entidade Reguladora.
10-01-2019
Novo aeroporto: “estamos perante 3 anos perdidos”
    Emídio Guerreiro acusou ainda o governo de avançar com a solução do novo aeroporto no Montijo por razões eleitorais.
20-12-2018
“Alteração ao Regime Excecional para a Reabilitação Urbana exige muita ponderação e prudência”
    O alerta foi deixado por António Topa.
12-12-2018
Carlos Silva aconselha Ministro do Planeamento e das Infraestruturas: “pare, escute e olhe”
    O social-democrata apelou ao governante para que “pare com a propaganda, escute os portugueses e olhe para a realidade sem fantasias”.
12-12-2018
Modelo de governação do Ministro do Planeamento e das Infraestruturas resume-se a dois princípios: cativar e prometer
    Paulo Rios de Oliveira ironizou que quando esses princípios falham a resposta é sempre a mesma: “a culpa é do PSD”.
12-12-2018
Pedro Marques é o “ministro da propaganda eleiçoeira”
    Luís Leite Ramos acusou o governante de ser a “voz-off do mega spot eleitoral de um governo faz de conta”.
12-12-2018
Cativações: Infraestruturas de Portugal executou apenas cerca de 50% dos investimentos previstos
    António Topa afirmou que os relatórios confirmam que com este governo o investimento registou uma descida de 22%.
Início Anterior Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas