Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
PSD acusa o governo de deixar saúde ao “Deus-dará”
Fernando Negrão acusa o governo de ter “falhado em toda a linha” e de, dessa forma, prejudicar gravemente os portugueses mais frágeis e carenciados.
No debate quinzenal com António Costa, Fernando Negrão voltou a questionar o Primeiro-Ministro sobre os atrasos em marcações de consultas e sobre o aumento da dívida do Serviço Nacional de Saúde. De acordo com o líder parlamentar do PSD, a marcação de uma consulta de cardiologia em Penafiel implica uma espera de 1307 dias, quase 4 anos. “E se for muito prioritário, o tempo é de 212 dias. Quase um ano para uma consulta prioritária de cardiologia. Consulta de urologia em Vila Real, 1793 dias, quase 4 anos. Consulta de pneumologia em Lamego, 871 dias, mais de 2 anos. Este é o estado em que o seu governo pôs a saúde em Portugal, falhando em toda a linha e com vítimas: essas vítimas são os portugueses e dentro dos portugueses essas vítimas são os mais frágeis e carenciados”. Tendo em conta este cenário, o deputado questionou a António Costa: “o senhor Primeiro-Ministro prometeu e não cumpriu, porquê?”
Ainda em matéria de saúde, Fernando Negrão recorreu ao relatório do Tribunal de Contas para acusar o governo de “deixar a saúde dos portugueses ao Deus-dará.” Refere o deputado que o Tribunal de Contas alertou para um agravamento drástico da dívida do Serviço Nacional de Saúde durante a governação de António Costa.
Antes, o líder parlamentar do PSD referiu-se aos dados do investimento público, dizendo que não existe um “amplo consenso” em torno desta matéria porque o governo do PS “desinvestiu em 2015, 2016 e 2017”. Em 2017, atingiu-se mesmo um “recorde negativo” dos últimos 60 anos, argumentou o deputado. “O que aconteceu para só agora se lembrarem do investimento público”, questionou o parlamentar, ouvindo-se deputados do PSD a dizer, num aparte: “são as eleições.”
Fernando Negrão acusou então António Costa de ter “prometido tudo a todos” e “ter falhado nas promessas aos portugueses”, com consequências na “degradação dos serviços públicos” e no aumento das greves.
A terminar, o líder da “bancada laranja” levou a debate o tema dos combustíveis, acusando o Governo de ter dado “migalhas com uma mão”, referindo-se à baixa de 3 cêntimos na gasolina, e depois ter “retirado pela calada e no dobro com a outra”, através do aumento da taxa de carbono.

11-01-2019 Partilhar Recomendar
10-02-2010
Rosário Águas e Clara Carneiro requerem acesso a contrato de aquisição de vacinas contra a GripeA
    Deputadas querem conhecer qual o montante e quantidade de doses fornecidas
10-02-2010
Rosário Águas e Clara Carneiro solicitam acesso a relatórios de acompanhamento e controlo das convenções na área da hemodiálise
    Deputadas pretendem aferir sobre o cumprimento das convenções, qualidade e acessibilidade da prestação destes cuidados de saúde nos últimos três anos
Início Anterior
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas