Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
“O ano de 2016 marca o início de um período de ilusionismo político protagonizado pela dupla Costa/Centeno”
No debate da Conta Geral do Estado 2016, Cristóvão Crespo recordou que “Catarina e Jerónimo foram os partners convenientes e coniventes”.
“Analisar através da Conta Geral do Estado de 2016, o primeiro ano de governo da maioria socialista, bloquista e comunista é um exercício interessante, mas arrepiante pelos resultados que já produziu. Politicamente interessante pela capacidade que os atores têm tido para colocar e retirar máscaras conforme as circunstâncias. Resultados arrepiantes pelos danos e estragos que estão a fazer na sociedade portuguesa. A capacidade destrutiva é muito superior ao que se podia prever à partida”. Foi desta forma que Cristóvão Crespo iniciou a sua intervenção, esta sexta-feira, no debate da Conta Geral do Estado 2016.
De seguida, o social-democrata afirmou que “o ano de 2016 marca o início de um período de ilusionismo político, protagonizado pela dupla Costa/Centeno com o patrocínio e apoio de Catarina e Jerónimo. Catarina e Jerónimo foram os partners convenientes e coniventes”. No entender do deputado, “tem sido um tempo de truques, enganos e manipulação. Truques porque apresentam e votam orçamentos com estratégia de ajustamento com aumento da despesa e depois constata-se que a mesma reduz brutalmente. Enganos de que foram e continuam a ser vítimas os portugueses pela degradação que trouxeram aos serviços públicos. Manipulação que fizeram e continuam a fazer juras de defesa da qualidade do serviço público, mas que na prática fica cativas da lógica «somos todos Centeno»”.
Mas para Cristóvão Crespo, o executivo só consegue manter esta “prática ilusionista” porque está a beneficiar do sucesso das reformas efetuadas pelo anterior governo, está a aproveitar o preço anormalmente baixo do barril de petróleo, o que permitiu ao governo aumentar os impostos sobre os produtos petrolíferos, a que se junta a política monetária do Banco Central Europeu. Contudo, refere, “apesar deste contexto único de que foram herdeiros, nenhum dos mais relevantes indicadores mostrou resultados melhores em 2016 do que os obtidos em 2015”.
Além do aumento do preço dos combustíveis, Cristóvão Crespo recordou outro “adereço determinante e de grande eficácia: o corte radical e abrupto do investimento público que levou à paragem ou ao não arranque de projetos de que o País carece e se viram congelados. A varinha mágica desta atuação acabou por ser as cativações”.
A terminar, o social-democrata sublinhou que “o ano de 2016 foi o arranque desta estratégia de governação, de que temos vindo a sofrer as consequências. Práticas e consequências que não ficaram circunscritas a 2016, mas continuam a ser utilizadas, e continuam a provocar a degradação da proteção das populações e prestação dos serviços públicos”.

15-06-2018 Partilhar Recomendar
26-11-2018
A dívida pública atingiu um máximo histórico com este governo
    Inês Domingos alertou para os riscos inerentes a estes valores.
26-10-2018
Estado deve devolver com juros as verbas cobradas indevidamente
    Teresa Leal Coelho apresentou a proposta do PSD para corrigir a injustiça entre as obrigações dos contribuintes e as obrigações do Estado.
11-10-2018
Dívida pública atingiu máximo histórico com este governo
    António Leitão Amaro recorda que dois terços dessa dívida foi criada por governos socialistas.
03-10-2018
António Leitão Amaro: Orçamento vem “com uma aditivação eleitoral”
    O social-democrata assegurou que o PSD apresentará propostas para um caminho alternativo.
21-09-2018
PSD quer impedir as cativações de verbas nas entidades reguladoras
    A iniciativa dos sociais-democratas foi apresentada por Duarte Pacheco.
22-06-2018
Combustíveis: o governo mentiu aos portugueses
    Paulo Rios de Oliveira afirmou que o governo mentiu e “continua a mentir, pois não corrige esta grave e injusta situação”.
21-06-2018
PSD quer proteger os portugueses da falsidade do governo e do aumento do preço dos combustíveis
    António Leitão Amaro frisou que o PSD quer que seja devolvido o que foi cobrado a mais em ISP.
21-06-2018
Sara Madruga da Costa assinala “hipocrisia, cinismo e oportunismo” do BE
    Em causa “a súbita alteração de posição” dos bloquistas em relação ao ISP.
21-06-2018
Comunistas são cúmplices do aumento dos impostos sobre os combustíveis
    António Ventura recordou que o PCP inviabilizou as iniciativas que pretendiam travar os aumentos.
21-06-2018
PSD defende a redução do Imposto sobre os Produtos Petrolíferos
    Cristóvão Norte recordou que o governo não cumpriu a palavra dada e que a consequência são mais de 1000 milhões de euros a menos no bolso dos portugueses.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas