Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
“O governo enganou os professores e mentiu ao Parlamento e ao povo português”
Margarida Mano considera que o clima de instabilidade que se vive na educação resulta do comportamento de um “governo dissimulado nos fins, incompetente na ação e deliberadamente ambíguo nas palavras”.
“O país assiste hoje, com perplexidade, a um clima de instabilidade, de confrontação e de descredito como há muito não se verificava na Educação. Um clima a que ninguém escapa: alunos, famílias, professores, funcionários, diretores e a sociedade em geral. Um clima promovido pelo governo e que teve no desconcerto da sua ação a sua origem. Um Governo dissimulado nos fins, incompetente na ação, deliberadamente ambíguo nas palavras”. Foi com estas palavras que Margarida Mano iniciou a sua intervenção, esta sexta-feira, no debate sobre a “organização do próximo ano letivo, carreira e concursos dos docentes”.
De seguida, a Vice-Presidente da bancada do PSD recordou a história. “Em novembro do ano passado, o governo prometeu a contagem do tempo de serviço para efeitos de progressão, tempo esse que se acumulou por força das decisões de governos socialistas em 2005 e 2010. A Sra. Secretária de Estado assumiu aqui, no Parlamento, no dia 15 desse mês, a contabilização do tempo de serviço. Dizia «vai ser encontrada uma forma de recuperação do tempo de serviço. Veremos com os sindicatos de que forma se fará o seu faseamento.» Três dias depois, o Governo assinou uma “Declaração de Compromisso” com todos os sindicatos onde assume negociar «o modelo concreto de reposição da carreira que permita recuperar o tempo de serviço». No Orçamento de Estado deste ano foi introduzido expressamente um artigo sobre esta matéria. E para que nenhuma dúvida pairasse os partidos que apoiam o governo fizeram em janeiro aprovar um PJR a reforçar que fosse «contado todo esse tempo». Era, pois, para o Governo uma questão de modo e prazo de reposição, não de reconhecimento do direito”. Contudo, adianta a social-democrata, 7 meses volvidos Ministro veio dizer aos professores, e à comunicação social, que «o tempo de serviço prestado pelos professores não será contabilizado para efeitos de progressão na carreira» e dar por terminadas as negociações. “O Ministro veio assumir perante o país que o Governo fez declarações publicas e firmou compromissos que não pretendia cumprir: o Governo enganou os professores e mentiu ao parlamento e ao povo português”.
No entender de Margarida Mano o governante “escolheu de forma cirúrgica, e do nosso ponto de vista irresponsável, o momento em que anunciou que o Governo andou a enganar os professores: início de junho, momento crítico do final do ano letivo, fase final das avaliações”.
Como o “Governo prometeu o que não podia cumprir”, a deputada considera que cabe ao Governo encontrar uma solução. “Uma solução que ponha cobro à política dos todos contra todos: os Pais e os Professores, os Diretores contra as orientações do Ministério, os Professores sem saber se os concursos interno e extraordinário serão impugnados; as famílias com a perspetiva de instabilidade no início do ano letivo. Sr. Ministro, como é possível valorizar a Educação com este clima instalado? Como é possível valorizar a Educação com um Governo que num dia apresenta os professores como vítimas da austeridade e no dia seguinte os retrata como beneficiários injustificados das reposições? Colocar a sociedade a discutir a Escola pelos maus motivos e não pelos bons não é Valorizar a Educação”, rematou a deputada.
15-06-2018 Partilhar Recomendar
28-11-2018
Manuais escolares gratuitos: medida não promove a equidade e não promove a igualdade de oportunidades
    Germana Rocha considera que o Estado não pode criar mais injustiças.
27-11-2018
PSD quer corrigir as iniquidades em torno da atribuição dos manuais escolares gratuitos
    Segundo Ana Sofia Bettencourt os sociais-democratas pretendem contribuir para uma maior justiça social.
27-11-2018
Valorização dos professores: PSD quer corrigir as injustiças cometidas pelo governo
    Pedro Pimpão afirmou que urge corrigir a “grave violação” cometida pelo executivo.
26-11-2018
PSD quer que o governo volte às negociações com os professores
    Margarida Mano acusa a esquerda de ter andado a brincar com os professores durante toda a legislatura.
30-10-2018
Margarida Mano: “a educação não foi nem é uma aposta para este governo”
    A deputada considera que, também na área da educação, “o Orçamento é mais uma oportunidade perdida”.
11-10-2018
Governo das esquerdas “defrauda e engana” os profissionais da educação
    Germana Rocha apelou à seriedade, coerência e responsabilidade dos partidos da esquerda.
04-10-2018
Pedro Pimpão: Educação deve ser a aposta principal para o futuro do país
    Contudo, o social-democrata refere que com este governo a comunidade educativa tem enfrentado sérias dificuldades.
03-10-2018
Educação: cenário cor-de-rosa do PS não coincide com a realidade
    Susana Lamas recordou as consequências das cativações no sector.
21-09-2018
Pedro Pimpão defende valorização dos agentes educativos
    Intervenção do social-democrata no debate parlamentar sobre o início do Ano Letivo.
21-09-2018
Educação: sobranceria e irresponsabilidade do governo originam confusão, instabilidade e incerteza
    Margarida Mano elencou alguns dos problemas que enquadram o início deste ano letivo e pediu humildade ao Ministro.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas