Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
“O governo enganou os professores e mentiu ao Parlamento e ao povo português”
Margarida Mano considera que o clima de instabilidade que se vive na educação resulta do comportamento de um “governo dissimulado nos fins, incompetente na ação e deliberadamente ambíguo nas palavras”.
“O país assiste hoje, com perplexidade, a um clima de instabilidade, de confrontação e de descredito como há muito não se verificava na Educação. Um clima a que ninguém escapa: alunos, famílias, professores, funcionários, diretores e a sociedade em geral. Um clima promovido pelo governo e que teve no desconcerto da sua ação a sua origem. Um Governo dissimulado nos fins, incompetente na ação, deliberadamente ambíguo nas palavras”. Foi com estas palavras que Margarida Mano iniciou a sua intervenção, esta sexta-feira, no debate sobre a “organização do próximo ano letivo, carreira e concursos dos docentes”.
De seguida, a Vice-Presidente da bancada do PSD recordou a história. “Em novembro do ano passado, o governo prometeu a contagem do tempo de serviço para efeitos de progressão, tempo esse que se acumulou por força das decisões de governos socialistas em 2005 e 2010. A Sra. Secretária de Estado assumiu aqui, no Parlamento, no dia 15 desse mês, a contabilização do tempo de serviço. Dizia «vai ser encontrada uma forma de recuperação do tempo de serviço. Veremos com os sindicatos de que forma se fará o seu faseamento.» Três dias depois, o Governo assinou uma “Declaração de Compromisso” com todos os sindicatos onde assume negociar «o modelo concreto de reposição da carreira que permita recuperar o tempo de serviço». No Orçamento de Estado deste ano foi introduzido expressamente um artigo sobre esta matéria. E para que nenhuma dúvida pairasse os partidos que apoiam o governo fizeram em janeiro aprovar um PJR a reforçar que fosse «contado todo esse tempo». Era, pois, para o Governo uma questão de modo e prazo de reposição, não de reconhecimento do direito”. Contudo, adianta a social-democrata, 7 meses volvidos Ministro veio dizer aos professores, e à comunicação social, que «o tempo de serviço prestado pelos professores não será contabilizado para efeitos de progressão na carreira» e dar por terminadas as negociações. “O Ministro veio assumir perante o país que o Governo fez declarações publicas e firmou compromissos que não pretendia cumprir: o Governo enganou os professores e mentiu ao parlamento e ao povo português”.
No entender de Margarida Mano o governante “escolheu de forma cirúrgica, e do nosso ponto de vista irresponsável, o momento em que anunciou que o Governo andou a enganar os professores: início de junho, momento crítico do final do ano letivo, fase final das avaliações”.
Como o “Governo prometeu o que não podia cumprir”, a deputada considera que cabe ao Governo encontrar uma solução. “Uma solução que ponha cobro à política dos todos contra todos: os Pais e os Professores, os Diretores contra as orientações do Ministério, os Professores sem saber se os concursos interno e extraordinário serão impugnados; as famílias com a perspetiva de instabilidade no início do ano letivo. Sr. Ministro, como é possível valorizar a Educação com este clima instalado? Como é possível valorizar a Educação com um Governo que num dia apresenta os professores como vítimas da austeridade e no dia seguinte os retrata como beneficiários injustificados das reposições? Colocar a sociedade a discutir a Escola pelos maus motivos e não pelos bons não é Valorizar a Educação”, rematou a deputada.
15-06-2018 Partilhar Recomendar
11-10-2018
Governo das esquerdas “defrauda e engana” os profissionais da educação
    Germana Rocha apelou à seriedade, coerência e responsabilidade dos partidos da esquerda.
04-10-2018
Pedro Pimpão: Educação deve ser a aposta principal para o futuro do país
    Contudo, o social-democrata refere que com este governo a comunidade educativa tem enfrentado sérias dificuldades.
03-10-2018
Educação: cenário cor-de-rosa do PS não coincide com a realidade
    Susana Lamas recordou as consequências das cativações no sector.
21-09-2018
Pedro Pimpão defende valorização dos agentes educativos
    Intervenção do social-democrata no debate parlamentar sobre o início do Ano Letivo.
21-09-2018
Educação: sobranceria e irresponsabilidade do governo originam confusão, instabilidade e incerteza
    Margarida Mano elencou alguns dos problemas que enquadram o início deste ano letivo e pediu humildade ao Ministro.
20-09-2018
“O governo é o campeão das cativações que prejudicam gravemente o Serviço Público de Educação”
    Segundo Germana Rocha essas cativações provocam falhas no apoio aos Agentes Educativos e aos alunos com Necessidades Educativas Especiais.
20-09-2018
Ana Sofia Bettencourt: “temos um governo que ilude, engana e manipula”
    Ana Sofia Bettencourt afirmou que o governo “assina e não cumpre, engana e não assume”.
20-09-2018
Bloco de Esquerda faz críticas públicas enquanto negoceia o Orçamento em privado
    Álvaro Batista quis saber qual o grau de arrependimento dos bloquistas com esta solução governamental.
18-07-2018
Deputada Manuela Tender participa em simpósio na Fundação Calouste Gulbenkian
    Em debate as Políticas Públicas para a Educação Inclusiva.
18-07-2018
Cantinas escolares: “quem apoia este governo tem de ser chamado à responsabilidade”
    Álvaro Batista considera que os partidos da esquerda falharam na obrigação de garantir alimentação de qualidade nas escolas.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas