Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Cultura: governo não honrou a palavra dada
Fernando Negrão saudou os agentes culturais por terem desencadeado a maior onda de contestação na Cultura das últimas décadas.
No debate quinzenal com o Primeiro-Ministro, Fernando Negrão felicitou todos os agentes culturais de Portugal “porque bateram o pé, reivindicaram, exigiram e o governo assustou-se e aumentou a dotação inicial que tinha”. Recorda o líder parlamentar do PSD que, em plena campanha eleitoral, rodeado de artistas, António Costa afirmou que «mais do que um Ministério da Cultura, nós precisamos do governo da Cultura. A Cultura tem de estar presente em todas as dimensões da atividade do governo». Segundo o deputado, com esta frase o socialista criou “um pacto de confiança” com os agentes culturais que foi agora quebrado, falhando assim a máxima “palavra dada, palavra honrada”. “Deu a palavra, porque não honrou?”, perguntou o social-democrata, acrescentando que estamos perante a “maior contestação da Cultura desde o 25 de abril”. Tendo em conta esta realidade e o facto de se desconhecer o paradeiro do Ministro da Cultura, Fernando Negrão perguntou ao Primeiro-Ministro se não acha que “é tempo de termos um Ministro da Cultura a sério em Portugal”.
De seguida, o líder da “bancada laranja” levou a debate o tema dos incêndios. Segundo o parlamentar, o relatório da Comissão Técnica Independente sobre os incêndios de outubro veio “confirmar que o Estado, apesar de avisado, voltou a falhar aos portugueses 4 meses depois. O que significa que o governo pouco ou nada aprendeu. E agora, à beira do regresso do tempo quente, constata-se a existência de falhas graves e deficiências enormes na preparação da época de incêndios”. Exemplo disso, adianta, reside na questão em torno dos meios aéreos. “O governo voltou a falhar na contratação para o combate aos fogos com os meios aéreos, dos 40 previstos só 12 é que estão contratualizados. A ANPC selou as instalações onde estão os helicópteros Kamov e o governo ainda não pagou o uso dos aviões do ano passado. Pergunto: quando é que o governo vai contratar a totalidade dos meios aéreos previstos”.
Ainda sobre este tema, Fernando Negrão lamentou que o executivo apenas se centre na prevenção, sustentando que “a prevenção deve ser articulada com um combate efetivo aos incêndios”.
O aumento do tempo de espera do atendimento do socorro do INEM, foi outro dos temas que o PSD levou ao debate com o Primeiro-Ministro. Fernando Negrão quis saber o que motivou este aumento do tempo de espera, levando a que esse tempo fosse o dobro do tempo registado em 2016. Frisando que por um segundo se pode perder uma vida e que o INEM alega que este problema se deve à falta de recursos humanos, o deputado pediu ao governo para revelar o estudo pedido há mais de um ano sobre as necessidades de pessoal do INEM.
Os atrasos no pagamento aos militares que morreram em combate foi o último dos temas levantado por Fernando Negrão a debate. O líder da bancada do PSD lembrou que, passados mais de 9 meses, a família do militar que foi morto no Mali continua sem receber a pensão a que tem direito. “É muito importante nós sabermos se o Estado reponde aos anseios e direitos dos portugueses e aqui não respondeu”, lamentou o parlamentar.

O adeus a Luís Montenegro:
No dia em que Luís Montenegro abandona o Parlamento, Fernando Negrão fez questão de lhe endereçar “um abraço de amizade e agradecer todo o trabalho de excelência que fez no Parlamento”. O líder parlamentar do PSD desejou ao social-democrata “as maiores felicidades pessoais, profissionais e políticas”.


05-04-2018 Partilhar Recomendar
15-03-2019
Carreira de Técnico Auxiliar de Saúde: PS criou o problema e insiste em não o corrigir
    Miguel Santos entende que o governo está contra os legítimos direitos desses profissionais.
27-02-2019
“Está demonstrado o fracasso das políticas deste governo também nas matérias da Saúde”
    António Costa Silva contestou os tempos de espera para consultas em Évora.
27-02-2019
“Na Guarda um doente cardíaco só pode estar doente às terças e quintas”
    Carlos Peixoto alerta que nos outros dias não há nenhum médico disponível.
27-02-2019
Manuela Tender acusa o governo de se esquecer da Região de Trás-os-Montes e Alto Douro
    A deputada considera que esta foi uma “legislatura perdida para esta Região”.
27-02-2019
“Governo tem utilizado todos os expedientes possíveis para adiar a resolução de assuntos muito importantes para a Madeira”
    A acusação foi deixada por Sara Madruga da Costa no debate sobre Saúde.
27-02-2019
Saúde: Distrito do Porto “está doente”
    Luís Vales refere que essa é a consequência das políticas do PS, PCP e BE.
27-02-2019
Cristóvão Norte desafia Ministra da Saúde a dar resposta aos problemas dos algarvios
    Caso contrário, o parlamentar entende que o nome da Ministra passará de Temido para “temida”.
27-02-2019
Adão Silva: “o SNS está a andar para trás”
    O deputado elencou um conjunto de dados que comprovam os falhanços da atual governação.
26-02-2019
Carnaval da Terceira esquecido pelo Governo
    António Ventura refere que parece existir uma estratégia do executivo para o arrastamento do processo.
22-02-2019
Ana Oliveira: “o governo virou as costas ao Serviço Nacional de Saúde”
    A deputada enumerou um conjunto de problemas que colocam em evidência as consequências da governação das esquerdas.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas