Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Nuno Reis acusou os socialistas de terem “amnésia seletiva”
Na audição do Ministro das Finanças e do Secretário de Estado Adjunto do Primeiro-Ministro o deputado atacou as posições dos socialistas e lembrou que o País continua a superar as avaliações da troika.

Nuno Reis questionou, esta terça-feira, o Ministro das Finanças e o Secretário de Estado Adjunto do Primeiro-Ministro sobre a sexta avaliação do Programa de Assistência económica e financeira. Do ponto de vista do deputado é de extrema importância que se reconheça que Portugal receberá a sua sétima tranche de financiamento porque consegui passar com sucesso mais uma avaliação da troika. O social-democrata apontou as diferenças entre o nosso País e a Grécia e afirmou que é assinalável este grau de sucesso no ajustamento português, que é mérito do Governo mas principalmente do empenho que os portugueses estão a demonstrar no cumprimento destas medidas. Neste âmbito, o parlamentar lembrou que há importantes conquistas em termos de correção dos desequilíbrios que nos trouxeram até aqui: o ajustamento das necessidades de financiamento do sector privado rondavam os cerca de 10% do PIB, enquanto que em 2013 o País registará um superavit da balança corrente e de capital.

De seguida, Nuno Reis pediu informações adicionais sobre a reforma que o Executivo pretende implementar em matéria de IRC e questionou a Vítor Gaspar se considera que o nosso IRC é competitivo com o de outros países da União Europeia. Para o social-democrata é necessário garantir que às empresas com as mesmas características de risco sejam concedidas as mesmas condições de acesso ao crédito. Já a Carlos Moedas, o parlamentar recordou que, no entender do PSD e da troika, a agenda das reformas estruturais estão a evoluir de uma forma muito favorável mas questionou qual a perceção do Executivo.

No encerramento da audição, Nuno Reis mostrou-se convicto de que se é verdade que estamos a cumprir com sucesso as medidas de ajustamento, o ano de 2013 será decisivo. Quanto à postura dos socialistas, que há falta de razões para se desvincular do memorando tentam marcar uma fronteira com o Governo e com o memorando, o deputado frisou que nada apaga o ponto a que o País chegou fruto da sua governação e o memorando por eles negociado e assinado. O parlamentar falou mesmo em “amnésia seletiva” e em “dupla personalidade”. E para exemplificar estas acusações, e recorrendo a rábula da Olívia patroa e Olívia empregada, afirmou que enquanto Ministro, Pedro Silva Pereira inscreveu no memorando a possibilidade de dois terços das freguesias e municípios serem agregados. Já o deputado Pedro Silva Pereira é contra essa agregação.

18-12-2012 Partilhar Recomendar
Nuno Reis questiona Ministro das Finanças e Secretário de Estado Adjunto do Primeiro-Ministro
Nuno Reis questiona Ministro das Finanças e Secretário de Estado Adjunto do Primeiro-Ministro
04-01-2018
“Queremos um Novo Ano em que o Estado não falhe aos cidadãos”
    Maria Luís Albuquerque frisou que o “PSD não assumirá o ónus das escolhas que não são as suas. Seremos sempre responsáveis, nunca seremos cúmplices”.
03-11-2017
“No Orçamento para 2018 não há uma visão de futuro para o país”
    Para Maria Luís Albuquerque é de lamentar que “quem tem a responsabilidade de governar desperdice deliberadamente a oportunidade de assegurar um futuro mais sustentável”.
20-10-2017
Cativações colocaram em causa a qualidade dos serviços públicos
    Duarte Pacheco afirmou que até o PCP reconhece essa realidade.
20-09-2017
PSD apresenta propostas para reforçar a supervisão financeira e completar a União Bancária
    Maria Luís Albuquerque sublinhou a necessidade de alterações que conduzam à proteção dos contribuintes e a uma sustentada confiança no mercado e nas instituições.
19-07-2017
António Leitão Amaro acusa PS, PCP e BE de fazerem um perdão à banca de 630 milhões de euros
    O Vice-Presidente da bancada do PSD alertou que quem paga são os contribuintes.
07-07-2017
“Este é o governo da instabilidade fiscal sobre as famílias e sobre a economia”
    Jorge Paulo Oliveira acusou o governo de estar constantemente a alterar impostos e benefícios fiscais.
07-07-2017
Luís Montenegro desafiou o Ministro das Finanças a dizer onde cortou mil milhões de euros e quais as consequências
    O líder parlamentar do PSD enfatizou que a austeridade manhosa colocou os serviços públicos à míngua.
07-07-2017
Cativações do governo levaram o Estado a falhar nas suas funções essenciais
    António Leitão Amaro afirmou que, contrariamente ao que era dito pela propaganda da esquerda, em 2016 o governo cativou mil milhões de euros.
06-07-2017
“O ano de 2015 foi marcado pela continuação da recuperação da atividade económica”
    No debate da Conta Geral do Estado de 2015, Cristóvão Crespo lamentou que esta trajetória não se tenha mantido em 2016.
23-06-2017
Solução para lesados do BES: governo coloca portugueses contra portugueses
    Carlos Silva acusou a geringonça de estar a “ilibar vigaristas que venderam banha da cobra aos clientes bancários”.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas