Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Nuno Reis acusou os socialistas de terem “amnésia seletiva”
Na audição do Ministro das Finanças e do Secretário de Estado Adjunto do Primeiro-Ministro o deputado atacou as posições dos socialistas e lembrou que o País continua a superar as avaliações da troika.

Nuno Reis questionou, esta terça-feira, o Ministro das Finanças e o Secretário de Estado Adjunto do Primeiro-Ministro sobre a sexta avaliação do Programa de Assistência económica e financeira. Do ponto de vista do deputado é de extrema importância que se reconheça que Portugal receberá a sua sétima tranche de financiamento porque consegui passar com sucesso mais uma avaliação da troika. O social-democrata apontou as diferenças entre o nosso País e a Grécia e afirmou que é assinalável este grau de sucesso no ajustamento português, que é mérito do Governo mas principalmente do empenho que os portugueses estão a demonstrar no cumprimento destas medidas. Neste âmbito, o parlamentar lembrou que há importantes conquistas em termos de correção dos desequilíbrios que nos trouxeram até aqui: o ajustamento das necessidades de financiamento do sector privado rondavam os cerca de 10% do PIB, enquanto que em 2013 o País registará um superavit da balança corrente e de capital.

De seguida, Nuno Reis pediu informações adicionais sobre a reforma que o Executivo pretende implementar em matéria de IRC e questionou a Vítor Gaspar se considera que o nosso IRC é competitivo com o de outros países da União Europeia. Para o social-democrata é necessário garantir que às empresas com as mesmas características de risco sejam concedidas as mesmas condições de acesso ao crédito. Já a Carlos Moedas, o parlamentar recordou que, no entender do PSD e da troika, a agenda das reformas estruturais estão a evoluir de uma forma muito favorável mas questionou qual a perceção do Executivo.

No encerramento da audição, Nuno Reis mostrou-se convicto de que se é verdade que estamos a cumprir com sucesso as medidas de ajustamento, o ano de 2013 será decisivo. Quanto à postura dos socialistas, que há falta de razões para se desvincular do memorando tentam marcar uma fronteira com o Governo e com o memorando, o deputado frisou que nada apaga o ponto a que o País chegou fruto da sua governação e o memorando por eles negociado e assinado. O parlamentar falou mesmo em “amnésia seletiva” e em “dupla personalidade”. E para exemplificar estas acusações, e recorrendo a rábula da Olívia patroa e Olívia empregada, afirmou que enquanto Ministro, Pedro Silva Pereira inscreveu no memorando a possibilidade de dois terços das freguesias e municípios serem agregados. Já o deputado Pedro Silva Pereira é contra essa agregação.

18-12-2012 Partilhar Recomendar
Nuno Reis questiona Ministro das Finanças e Secretário de Estado Adjunto do Primeiro-Ministro
Nuno Reis questiona Ministro das Finanças e Secretário de Estado Adjunto do Primeiro-Ministro
04-07-2019
Governo transpõe diretivas europeias fora de prazo e sem os pareceres das entidades especializadas
    Inês Domingos fala em desrespeito pelo Parlamento.
03-07-2019
Maioria parlamentar trata as matérias relevantes “de forma avulsa”
    Cristóvão Crespo censura a política fiscal do governo e fala numa estratégia “colada com cuspo”.
02-07-2019
20 países da União Europeia cresceram mais do que Portugal em 2018
    Apontando vários exemplos do falhanço governativo do PS, Inês Domingos adiantou que é tempo de “escolher uma alternativa reformista”.
19-06-2019
Governo das esquerdas é “forte com os fracos e fraco com os fortes”
    António Leitão Amaro fala numa “carga fiscal máxima para serviços e investimento público no mínimo”.
19-06-2019
Virgílio Macedo acusa a Autoridade Tributária de ter realizado um “arrastão fiscal”
    O deputado considera que as ações de cobrança de impostos na estrada “só aprofundam o sentimento de perseguição tributária dos contribuintes".
19-06-2019
PSD critica desproporção da atuação do Estado em relação à cobrança de dívidas
    Inês Domingos recordou que ao mesmo tempo que se faziam ações de cobrança de impostos na estrada, o PS votava contra a divulgação da lista dos grandes devedores à banca.
19-06-2019
Relação criada entre o governo e os contribuintes é marcada pela deslealdade
    Cristóvão Norte fala num executivo que “esconde, dissimula e anestesia os portugueses”.
12-06-2019
“É caótica e intolerável a excessiva demora deste governo na atribuição das pensões por reforma”
    Leonel Costa alertou para as graves consequências destes atrasos.
12-06-2019
“Em 2017 foi escrita uma das páginas mais negras da história recente de Portugal”
    No debate da Conta Geral do Estado de 2017, Cristóvão Crespo afirmou que “a política de cativações traduziu-se na ausência do Estado”.
07-06-2019
Governo “quer criar um pântano na supervisão”
    Inês Domingos acusou o executivo de “atacar de forma inusitada a independência dos reguladores do setor financeiro”.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas