Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Novo Banco: “queremos conhecer tudo em nome do interesse dos portugueses”
Adão Silva exigiu explicações a António Costa sobre a “trapalhada” que se revelou a solução encontrada para o Novo Banco.
No debate quinzenal com o Primeiro-Ministro, Adão Silva exigiu explicações a António Costa sobre a “trapalhada” que se revelou a solução encontrada para o Novo Banco. De acordo com o Vice-Presidente da bancada do PSD, quando o governo vendeu o Novo Banco, em outubro de 2017, vendeu-o com um mecanismo de capital contingente, uma espécie de garantia, de cerca de 3.890 milhões de euros para eventuais perdas do Banco, a serem usadas até 2025. Com o otimismo próprio do Ministro das Finanças, recorda o social-democrata, Mário Centeno diria 8 meses depois da venda que “se o processo de evolução do novo banco continuar a decorrer como até hoje o número de 3.890 milhões não vai ser atingido”.
Contudo, em março de 2019, o Novo Banco voltou a pedir 1.150 milhões de euros e o Ministro das Finanças, que “deixou de respirar otimismo”, ficou surpreendido com a situação e revelou mesmo que «estava à espera de um perfil descendente e saiu um perfil ascendente». Dirigindo-se a António Costa, Adão Silva questionou se também o Primeiro-Ministro estava à espera de mais 800 milhões de euros do aquele que estava previsto.
Sublinhando que “péssima foi a forma como o processo da venda aconteceu, uma verdadeira trabalhada”, o Vice da “bancada laranja” voltou a recordar palavras do Ministro das Finanças: «a solução que encontrámos foi difícil, mas tem uma virtude muito grande: tem limites e previsibilidade muito claros sobre os impactos financeiros». De acordo com o Parlamentar, esta previsibilidade traduz-se no seguinte: “passados menos de 2 anos já foi gasta metade da verba disponível como capital contingente. Isto vai ter um limite? Está com possibilidade de garantir aos portugueses que há mesmo um limite”, questionou a António Costa.
Dirigindo-se ao Primeiro-Ministro, Adão Silva frisou que o Grupo Parlamentar do PSD tem todo o interesse em ter toda a informação, por isso pediu reiteradamente que essa informação fosse enviada, algo que não aconteceu. “Mas nós insistimos e por isso o Ministro das Finanças vai hoje estar na Comissão a explicar esta matéria. Nós queremos conhecer tudo em nome do interesse dos portugueses”.
De seguida, o social-democrata centrou a sua intervenção no Montepio e na idoneidade do Presidente da Associação Mutualista “Parece que estava tudo bem, dizia o Ministro da Segurança Social. Mas o senhor Presidente da República deixou muito claro que é preciso clarificar esta matéria. E é, porque uma associação mutualista que tem 630 mil sócios, que têm ali as suas poupanças, tem de ser obviamente muito escrutinada e quem está à frente desta entidade deve ser altamente escrutinado também, e a idoneidade deve ser muito bem demonstrada”.
Depois de perguntar a António Costa o que o levou a mudar de posição e a pretender clarificar esta questão, Adão Silva concluiu a sua intervenção abordando os problemas com o processamento de pensões no Centro Nacional de Pensões. “Pedimos, em setembro de 2018, para que o Ministro da Segurança Social viesse explicar o que está a acontecer com um Centro Nacional de Pensões que demora cada vez mais tempo a processar as pensões. O Ministro não disse nada. Acha normal este comportamento do Ministro? É que estamos a falar de milhares de pensionistas ou potenciais pensionistas. O Estado não está a fazer nenhum favor, o dinheiro é do pensionista. “Quando é que o governo põe termo a esta delonga inusitada da atribuição das pensões”, questionou o deputado.

07-03-2019 Partilhar Recomendar
20-03-2019
Bloco de Esquerda é “fiscalmente insaciável”
    Jorge Paulo Oliveira afirmou que esse é mais um motivo para os bloquistas apoiarem um governo que é “campeão da carga fiscal”.
20-03-2019
A filosofia da esquerda “é tributar”
    Segundo Virgílio Macedo estes partidos pretendem “tributar tudo o que mexe, o que não mexe e o que pode vir a mexer”.
20-03-2019
PSD contra impostos europeus: “queremos a nossa autonomia fiscal”
    A posição dos sociais-democratas foi reiterada por Cristóvão Norte.
20-03-2019
“Governo, PS, BE e PCP têm vindo a competir para ver qual consegue ser mais eficaz a «depenar» os contribuintes”
    Em sentido contrário, Cristóvão Crespo afirmou que o objetivo devia passar pela redução da carga fiscal.
20-03-2019
“Não aceitamos aumentar mais a carga fiscal”
    Leonel Costa recordou que são já 34 os aumentos de impostos e taxas nesta legislatura.
19-03-2019
Passe Único: “medida eleitoral como nunca se viu”
    Fernando Negrão acusou o governo de apresentar a redução dos preços dos passes apenas para Lisboa e Porto e de não aumentar o número de transportes.
15-03-2019
Esquerda governa para os eleitores e não para os portugueses
    Joana Barata Lopes lamentou que estes partidos governem sem pensar no futuro.
15-03-2019
Clara Marques Mendes coloca em evidência a hipocrisia do PCP
    A deputada lembra que os comunistas, apesar de verem as suas propostas chumbadas pelo PS, continuam a viabilizar os Orçamentos.
15-03-2019
Álvaro Batista: “com o governo das esquerdas 1 em cada 4 trabalhadores são precários”
    O social-democrata referiu-se à consciência pesada das esquerdas que prometeram reduzir a precariedade laboral e fizeram precisamente o contrário.
15-03-2019
Cativações impediram as entidades reguladoras de efetuar investigações muito importantes
    Para Carlos Silva esta é claramente uma situação lesiva dos interesses do Estado e dos portugueses.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas