Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Rui Cruz: “aquilo que foi dado aos portugueses, foi-lhes tirado por mais impostos, taxas, preços e tarifas”
O deputado considera que “precisamos de um governo que seja capaz de induzir um crescimento económico robusto e continuado”.
“Depois de muitas políticas para combater a pobreza, de muitos louvores ao sucesso desta governação, de muitas juras ao fim da austeridade, de muitos milagres e fintas geniais, a pobreza existe em Portugal com uma dimensão que nos deve envergonhar e deve envergonhar o governo. Num país da Europa, integrado na União Europeia e a receber fundos comunitários há mais trinta anos, constatamos que a pobreza e o limiar da mesma se abate sobre um número colossal de famílias, trabalhadores, desempregados, mulheres, crianças e emigrantes aqui residentes.” Foi com este reconhecimento que Rui Cruz iniciou a sua intervenção, esta quinta-feira, no debate de uma iniciativa que visa estabelecer o regime jurídico aplicável à avaliação de impacto dos atos normativos na produção, manutenção, agravamento ou na diminuição e erradicação da pobreza.
De seguida, o parlamentar reconheceu que existe uma evolução positiva nalguns indicadores, mas questionou como se explica que ainda existam 2.4 milhões de pessoas em risco de pobreza em Portugal, que 600 mil vivem em agregados familiares excluídos do mercado de trabalho, ou que 24% das mulheres, das crianças e dos trabalhadores são pobres ou estão em risco de pobreza.
No entender de Rui Cruz, “enquanto os números de Centeno escondem o falhanço de Costa, estes números medem o sucesso enfezado do governo e atestam o fraco rendimento das suas políticas. Chegou o momento em que faz sentido acompanhar a produção legislativa com mecanismos de prévia avaliação de impacto e posterior monitorização da efetiva e eficaz aplicação das medidas tomadas para combater a pobreza e daquelas que não se lhe dirigindo diretamente, podem ter efeitos prejudicais sobre a mesma”.
Para o social-democrata, o governo deve, com as instituições da área social, criar mecanismos adequados a medir o impacto das políticas públicas na erradicação ou propagação da pobreza. “Desde logo, são precisos mecanismos para medir o impacto lesivo das cativações agressivas de Centeno, da austeridade aveludada de Costa, ou da caridosa carga fiscal desta maioria parlamentar. Aquilo que foi dado aos portugueses pelo crescimento económico, o emprego e a valorização dos rendimentos, foi-lhes tirado por mais impostos, taxas, preços e tarifas. Aquilo que foi dado aos mais frágeis e vulneráveis, foi-lhes subtraído com indiferença. Andaram a enganar a pobreza. Andaram a enganar os portugueses”.
A concluir, Rui Cruz frisou que “precisamos de um governo que seja capaz de reduzir a famosa e ainda mais colossal carga fiscal. Precisamos de um governo que seja capaz de induzir um crescimento económico robusto e continuado. Precisamos dum novo governo, porque este falhou”.

21-02-2019 Partilhar Recomendar
15-03-2019
Esquerda governa para os eleitores e não para os portugueses
    Joana Barata Lopes lamentou que estes partidos governem sem pensar no futuro.
15-03-2019
Clara Marques Mendes coloca em evidência a hipocrisia do PCP
    A deputada lembra que os comunistas, apesar de verem as suas propostas chumbadas pelo PS, continuam a viabilizar os Orçamentos.
15-03-2019
Álvaro Batista: “com o governo das esquerdas 1 em cada 4 trabalhadores são precários”
    O social-democrata referiu-se à consciência pesada das esquerdas que prometeram reduzir a precariedade laboral e fizeram precisamente o contrário.
08-03-2019
PSD defende a criação de um Estatuto do Cuidador Informal
    A iniciativa dos sociais-democratas foi apresentada pela deputada Helga Correia.
08-03-2019
Cuidadores Informais querem respostas, não falsas ilusões
    Mercês Borges considera que falta vontade ao governo para dar resposta a este problema.
07-03-2019
Novo Banco: “queremos conhecer tudo em nome do interesse dos portugueses”
    Adão Silva exigiu explicações a António Costa sobre a “trapalhada” que se revelou a solução encontrada para o Novo Banco.
21-02-2019
“Com o governo das esquerdas os trabalhadores precários aumentaram de forma explosiva”
    Álvaro Batista acusou a governação das esquerdas de ter falhado o objetivo de reduzir a precariedade.
13-02-2019
Portugal está a caminho de se tornar o quinto país mais pobre da União Europeia
    Joana Barata Lopes enfatizou que o combate à pobreza “é o único caminho que permitirá às pessoas a liberdade efetiva para construírem o seu plano de felicidade”.
13-02-2019
“Políticas públicas atuais têm falhado na redução da pobreza e das desigualdades sociais”
    Clara Marques Mendes frisou que precisamos de uma geração de políticas que promovam a economia, que enfrentem a demografia e que afrontem a pobreza e desigualdades sociais.
13-02-2019
“Tudo parece brilhante, mas no fundo temos um país pobre e desigual”
    Adão Silva lembrou que, 9 meses antes da bancarrota, José Sócrates também dizia que estávamos no «melhor dos mundos».
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas