Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Funções dos Técnicos Auxiliares de Saúde justificam a existência de uma carreira própria
Miguel Santos afirmou que a reintegração destes profissionais nas carreiras especiais da saúde não pode continuar a ser adiada pelo governo.
No debate da Petição que solicita a regulamentação da carreira de Técnico Auxiliar de Saúde, Miguel Santos recordou que este é um problema com origem em 2008, quando o governo de então resolveu extinguir a carreira dos auxiliares de ação médica e integrar esses profissionais numa carreira geral.
Segundo o parlamentar, a estes trabalhadores compete assegurar todo um conjunto funcional essencial ao bem-estar dos utentes do Sector da Saúde, no cumprimento, com plena autonomia técnica, de tarefas de alimentação, higiene, transporte e conforto, entre outras funções para as quais adquiriram as devidas competências. “Os técnicos auxiliares de saúde exercem funções diferenciadas que, tal como sucede com os demais profissionais de saúde, justificam a existência de uma carreira própria. Trata-se de profissionais cuja reintegração nas carreiras especiais da saúde não pode continuar a ser adiada pelo governo.”
Dirigindo-se à bancada do PS, Miguel Santos lembrou que os socialistas não só criaram o problema, como não o resolveram ao longo destes três anos e meio, apesar de o terem prometido na última campanha eleitoral. “Refira-se o silêncio do governo. Para a elaboração do Relatório sobre esta Petição, o Parlamento solicitou ao governo que se pronunciasse sobre a reposição da carreira. Decorrido mais de meio ano, o governo não respondeu. Portanto, não se comprometeu com uma solução. A única posição que se conhece foi o voto contra do PS à reposição da carreira, aquando da apreciação do Orçamento do Estado para 2019.”
A terminar, Miguel Santos afirmou que estamos perante uma oportunidade histórica de contrição e de reposição de uma questão de justiça. “Este ato de contrição é o que os profissionais e o PSD exigem ao governo e ao PS”, concluiu o parlamentar.
31-01-2019 Partilhar Recomendar
19-07-2019
Nova Lei de Bases da Saúde não vai melhorar o acesso à saúde dos portugueses
    Ricardo Baptista Leite criticou os socialistas por se terem “encostado à esquerda radical”.
19-07-2019
“Esquerdas-unidas demonstraram o seu total desprezo pelos técnicos superiores das áreas de diagnóstico e terapêutica”
    Na base da acusação de José António Silva está o chumbo da iniciativa do PSD.
19-07-2019
“Vivemos a fase mais negra da história do SNS”
    Ricardo Baptista Leite fala em degradação do acesso dos utentes, numa crescente tensão social dos profissionais e numa desumanização do SNS.
10-07-2019
“O Primeiro-Ministro falhou na proteção da saúde dos portugueses”
    Ricardo Baptista Leite enumerou um conjunto de promessas que António Costa fez e não cumpriu.
05-07-2019
PSD defende a inclusão nos currículos escolares do ensino de suporte básico de vida e desfibrilhação
    Simão Ribeiro enfatiza que “a literacia em saúde é fundamental” e ajuda a salvar vidas.
04-07-2019
PSD disponível para contribuir para uma boa lei sobre ensaios clínicos de medicamentos para uso humano
    Sublinhando a inegável complexidade da matéria, Isaura Pedro sinalizou matérias que merecem uma ponderação cuidada.
02-07-2019
“Este governo é o campeão da destruição dos serviços públicos”
    Clara Marques Mendes afirmou que “o Governo fala dos pobres, mas desfavorece-os; prega a solidariedade, mas não a pratica”.
27-06-2019
Saúde: Miguel Santos considera que “foram 4 anos perdidos”
    O social-democrata considera que são 4 anos que vão ser muito complicados de recuperar.
27-06-2019
Saúde: “governo falha todos os dias para com os cidadãos mais vulneráveis”
    Ricardo Baptista Leite sublinhou que “quem não vai ao terreno, quem não fala com os doentes, quem não ouve os profissionais, nunca poderá ter noção das dificuldades dos cidadãos, nem de como governar adequadamente o país”.
27-06-2019
“Não há! Não há! Não há!” é a palavra de ordem no setor da Saúde
    Ângela Guerra fez eco das inúmeras falhas no sector e das consequências para os portugueses.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas