Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Ministro do Ensino Superior, Ciência e Tecnologia questionado pelos deputados do PSD
José Ferreira Gomes questionou Mariano Gago sobre a empregabilidade dos jovens licenciados e o fenómeno da “fuga de cérebros”

O deputado do PSD iniciou a sua participação na reunião da Comissão de Educação e Ciência, terça-feira, referindo-se à produção legislativa relativa ao Processo de Bolonha. Para José Ferreira Gomes, a legislação que visou aplicar Bolonha foi produzida através de “uma via formal e apressada sem ter no terreno qualquer processo de avaliação (…). A preocupação agrava-se porque os documentos oficiais parecem preocupar-se mais com parâmetros formais estatísticos (número de licenciados, mestres e doutores) do que com a qualidade das aprendizagens”. O deputado referiu ainda que a designação de "Licenciatura" atribuída "ao novo primeiro ciclo é disto exemplo paradigmático". "Há sinais gritantes de desajuste entre as preocupações do MCTES e a realidade portuguesa", afirmou.

Na presença do Ministro do Ensino Superior, Ciência e Tecnologia, José Ferreira Gomes lamentou o “crescimento rápido do desemprego dos jovens licenciados” e abordou o fenómeno da “fuga de cérebros” referindo a “emigração crescente dos nossos melhores - e economicamente mais agressivos - jovens quadros”.

Recorrendo ao comunicado final da conferência inter-ministerial de Budapeste-Viena e a um recente Relatório do Eurydice, o deputado social-democrata abordou a “dimensão social do Processo de Bolonha”. O deputado considerou que “embora Portugal acompanhe a maioria dos países que acautelaram a sua ‘posição na fotografia’, teremos de reconhecer que os problemas da equidade no acesso e no sucesso estão quase ausentes das políticas nacionais e institucionais em Portugal”. José Ferreira Gomes disse ainda que “não são conhecidas políticas nem objectivos políticos comparáveis aos assumidos em muitos países”.

No que refere à área da empregabilidade, o deputado assinalou “o único esforço, e mesmo esse mal conseguido” de “aumentar a transparência com a divulgação de dados do desemprego”.

José Ferreira Gomes lançou um repto ao Ministro do Ensino Superior, Ciência e Tecnologia, questionando-o sobre a oportunidade “de um esforço adicional numa altura em que os problemas da empregabilidade de graduados e de licenciados em Portugal vai certamente acentuar-se”. Para o deputado social-democrata, que é também Vice-Presidente da Comissão de Educação e Ciência, “os estágios são certamente uma via importante, mas muitos jovens graduados precisam de apoio para a sua entrada no mundo do trabalho, muitas vezes com uma reorientação do seu percurso” O deputado questionou se não seria útil “incentivar as instituições a proporem módulos curtos para facilitar esta transição – do tipo de alguns meses de formação de cariz vocacional – associada a um estágio já definido”.

O deputado social-democrata questionou ainda o Ministro sobre “a falta de um regime de equivalências que torne inteligível o convívio na nossa sociedade de licenciados pré-Bolonha com 5 anos de formação (no caso das engenharias) com licenciados pós-Bolonha com 3 anos de formação”.
O deputado considera que Portugal tem a “especificidade de a adaptação de Bolonha ter alterado significativamente o significado, o conteúdo dos graus de licenciado e de mestrado sem qualquer disposição que esclareça as equivalências entre os antigos e os novos graus”, enquanto outros países “evitaram usar as antigas designações para os novos programas” ou “mantêm-se em paralelo diversos tipos de licenciaturas, para entrada numa profissão, para continuação de estudos, para investigação (…)”

José Ferreira Gomes questionou se o MCTES pretende “criar algum instrumento – cuja veracidade ou aderência à realidade possa ser verificada – de normalização dos objectivos da licenciatura que permita a comunicação entre a instituição e os outros parceiros, estudantes e empregadores”.

Na reunião da Comissão Parlamentar de Educação e Ciência intervieram também Pedro Saraiva, Pedro Rodrigues e Vânia Jesus.

Veja os vídeos.

06-04-2010 Partilhar Recomendar
Pedro Saraiva questiona Ministro do Ensino Superior sobre a população portuguesa com formação superior
Pedro Rodrigues questiona Ministro do Ensino Superior sobre as regras de cálculo para atribuição de bolsas de estudo no Ensino Superior
Vânia Jesus questiona Ministro do Ensino Superior sobre os Contratos de Confiança entre o Governo e as Instituições de Ensino Superior e sobre a avaliação aos cursos ministrados
27-03-2019
Universidades e Politécnicos podem ser uma alavanca para aumentar a coesão entre regiões
    Nilza de Sena considera que o executivo “falhou redondamente” na diminuição destas desigualdades.
27-03-2019
Ensino Superior: PSD quer que o governo crie um regime de incentivos para os estudantes lusodescendentes e portugueses emigrados
    José Cesário lamenta que das 3500 vagas, apenas 247 tenham sido ocupadas no último concurso.
27-03-2019
PSD defende clarificação do que são as despesas de frequência do Ensino Superior
    Duarte Marques adiantou que os sociais-democratas defendem que se o estudante já paga uma propina, há um conjunto de exercícios que o Estado não pode cobrar.
27-03-2019
“Com este governo tudo piorou nos territórios de baixa densidade”
    Num debate sobre Ensino Superior, Álvaro Batista afirmou que o PSD quer promover a fixação de população nas zonas mais despovoadas.
27-03-2019
Germana Rocha: “a estratégia deste Governo é a propaganda”
    A deputada considera que esta é uma “legislatura perdida”.
27-03-2019
Orçamento do Estado continha medidas castradoras da autonomia das instituições de ensino superior
    Liliana Silva colocou em evidência as consequências dessas medidas.
27-03-2019
PCP é cúmplice do subfinanciamento das instituições do Ensino Superior
    Laura Magalhães alertou que em pleno mês de março há 11 mil estudantes que ainda não sabem se terão bolsa de estudo.
27-03-2019
Ensino Superior: atuação do governo “marcada pela falta de ambição, desorientação, incapacidade de concretização e demagogia”
    Margarida Mano afirmou que a intenção do PSD é “levar o Ensino Superior mais longe, com Mérito, Autonomia e Responsabilidade”,
15-02-2019
Propinas: o que esperar de um governo que diz uma coisa num dia e outra no seguinte?
    Para Margarida Mano esta foi uma “legislatura perdida” devido à impossibilidade de conjugar uma “cegueira ideológica” com as políticas necessárias para o país.
15-02-2019
Ensino Superior nunca foi uma prioridade do BE e do PCP nas negociações dos Orçamentos
    Duarte Marques refere que a defesa dos estudantes não é importante para estes partidos e por isso sempre ficou fora dos Orçamentos.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas