Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Vacinação: Portugal não pode descansar sobre os resultados alcançados
António Topa reconheceu que o nosso país tem um Programa Nacional de Vacinação bom, universal, gratuito e acessível.
António Topa saudou, esta quinta-feira, os peticionários da iniciativa que solicitara à Assembleia da República que se discuta sobre a obrigatoriedade das Vacinas do Plano Nacional de Vacinação.
De acordo com o deputado, “os peticionários pretendem que seja pensada a obrigatoriedade da vacinação de todas as crianças portuguesas e fazem-no sabendo que Portugal tem dos melhores resultados mundiais em termos de vacinação contra doenças, mas fazem-no também não ignorando a importância de alertar permanentemente as pessoas para a necessidade de vacinação das crianças. É que, todos o sabemos, as vacinas salvam vidas, pelo que a vacinação é, não só uma questão de saúde pública, como uma condição essencial para evitar doenças como a tuberculose, o sarampo ou a tosse convulsa, entre muitas outras”.
Tendo em conta esta realidade, o parlamentar frisou que “o PSD é naturalmente sensível a esta questão e perfilhamos os justos anseios dos peticionários. Sabemos que o que os move é uma preocupação com a saúde dos portugueses e não duvidamos que essa é também uma das tarefas fundamentais do Estado”.
De seguida, o social-democrata lembrou que Portugal tem um bom Programa Nacional de Vacinação, universal, gratuito e acessível a toda a população residente em Portugal, tendo já atingido o objetivo de 95% de vacinação para todas as vacinas avaliadas até aos 7 anos de idade. Apesar de regularmente revisto e atualizado, adianta o deputado, as ameaças continuam, como ainda no ano passado o demonstraram os dois surtos de sarampo verificados no nosso País. “Neste contexto, o PSD considera que Portugal não pode descansar sobre os resultados alcançados no passado e não fechamos a porta a medidas legislativas adicionais que permitam ao nosso País continuar a ser uma referência internacional nas políticas vacinais de saúde pública”.
António Topa saudou, esta quinta-feira, os peticionários da iniciativa que solicitara à Assembleia da República que se discuta sobre a obrigatoriedade das Vacinas do Plano Nacional de Vacinação.
De acordo com o deputado, “os peticionários pretendem que seja pensada a obrigatoriedade da vacinação de todas as crianças portuguesas e fazem-no sabendo que Portugal tem dos melhores resultados mundiais em termos de vacinação contra doenças, mas fazem-no também não ignorando a importância de alertar permanentemente as pessoas para a necessidade de vacinação das crianças. É que, todos o sabemos, as vacinas salvam vidas, pelo que a vacinação é, não só uma questão de saúde pública, como uma condição essencial para evitar doenças como a tuberculose, o sarampo ou a tosse convulsa, entre muitas outras”.
Tendo em conta esta realidade, o parlamentar frisou que “o PSD é naturalmente sensível a esta questão e somos perfilhamos os justos anseios dos peticionários. Sabemos que o que os move é uma preocupação com a saúde dos portugueses e não duvidamos que essa é também uma das tarefas fundamentais do Estado”.
De seguida, o social-democrata lembrou que Portugal tem um bom Programa Nacional de Vacinação, universal, gratuito e acessível a toda a população residente em Portugal, tendo já atingido o objetivo de 95% de vacinação para todas as vacinas avaliadas até aos 7 anos de idade. Apesar de regularmente revisto e atualizado, adianta o deputado, as ameaças continuam, como ainda no ano passado o demonstraram os dois surtos de sarampo verificados no nosso País. “Neste contexto, o PSD considera que Portugal não pode descansar sobre os resultados alcançados no passado e não fechamos a porta a medidas legislativas adicionais que permitam ao nosso País continuar a ser uma referência internacional nas políticas vacinais de saúde pública”.

11-10-2018 Partilhar Recomendar
18-10-2018
PSD defende uma maior autonomia na contratação de profissionais por parte dos hospitais do SNS
    Fátima Ramos rejeitou “o sectarismo ideológico e a visão distorcida da história” de PCP e BE.
18-10-2018
PSD defende a construção urgente da nova ala pediátrica do São João
    Luís Vales apresentou a iniciativa dos sociais-democratas e apelou a todos os partidos que coloquem os interesses das crianças à frente das questões ideológicas.
12-10-2018
Hospital da Madeira: deputados do PSD eleitos pela Região exigem a correção da decisão do Conselho de Ministros
    Os sociais-democratas exigem que António Costa honre o compromisso assumido de financiar a obra em 50%.
11-10-2018
Laura Magalhães: “as políticas de combate à droga não devem ser ambíguas”
    A deputada apelou ao consenso em torno de medidas que visem o combate ao consumo de drogas ilícitas.
04-10-2018
Helga Correia exige respostas urgentes para o hospital de Oliveira de Azeméis
    Exigência surge após uma visita a esta unidade hospitalar.
04-10-2018
“Só fala constantemente do passado quem tem medo do presente e de assumir as responsabilidades”
    Simão Ribeiro desafiou os partidos da esquerda a assumirem as suas responsabilidades pelos problemas nos serviços públicos.
04-10-2018
Atrasos e dívidas do governo afetam a saúde dos madeirenses
    Sara Madruga da Costa e Rubina Berardo reuniram com o Secretário Regional da Saúde.
01-10-2018
Deputados do PSD reúnem com a Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo
    Os sociais-democratas eleitos pelo distrito de Santarém saíram da reunião preocupados com a falta de investimento e com o fracasso da descentralização.
28-09-2018
O Hospital da Madeira não pode ser arma de arremesso político
    Sara Madruga da Costa lamenta que o governo tenha demorado três anos a tomar uma decisão sobre uma infraestrutura que é fundamental para os madeirenses.
26-09-2018
Os portugueses não podem confiar na palavra do Primeiro-Ministro
    A propósito do Infarmed, Fernando Negrão lembrou a António Costa que “quem não tem palavra não tem credibilidade”.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas