Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
PSD defende a redução do Imposto sobre os Produtos Petrolíferos
Cristóvão Norte recordou que o governo não cumpriu a palavra dada e que a consequência são mais de 1000 milhões de euros a menos no bolso dos portugueses.
“Um mês passou desde que, por iniciativa do PSD, teve lugar um debate potestativo sobre a matéria que hoje discutimos. Mais um mês em que os portugueses têm vindo a enfrentar uma penosa realidade, o calvário do preço dos combustíveis. Nada de fundamental mudou. A fatura fiscal nos combustíveis continua a bater todos os recordes, os portugueses continuam a pagar mais 13 cêntimos de impostos por litro no gasóleo e 8 na gasolina, em comparação com os primeiros meses de funções deste governo, momento do maior aumento de impostos jamais registado em Portugal. Os portugueses continuam a pagar entre os combustíveis mais caros da Europa: o quinto na gasolina e o décimo no gasóleo. É caso para dizer, mais um mês passou e nada mudou. O mealheiro do Tio Centeno continua a acumular”. Estas foram as palavras iniciais de Cristóvão Norte no debate sobre combustíveis, em que o PSD apresentou uma iniciativa que defende a redução do Imposto sobre os Produtos Petrolíferos (ISP).
De seguida, o social-democrata sublinhou que a questão dos combustíveis levanta o pior da governação, o pecado original, “a falta de palavra, o engano”. De acordo com o deputado, “o governo rasgou um contrato de confiança que tinha com os portugueses num desleal exercício de manipulação. O governo garantiu que se o preço subisse o imposto descia, ora, o preço subiu e o governo mentiu”.
“Em 2016, diziam que estavam a aumentar os impostos sobre os combustíveis em mais de 7 cêntimos por litro porque os preços estavam baixos e, por isso, perdiam Iva, reduzindo-se a receita fiscal. Foram vários, o Ministro Eduardo Cabrita, o Secretário de Estado Fernando Rocha Andrade, que prontamente confortaram os portugueses e lhes asseguraram que fariam revisões trimestrais do valor do ISP, estimando até que por cada 4 cêntimos de aumento do preço o ISP seria reduzido em 1. Os portugueses não teriam nada a temer. Até lhe arranjaram um bonito nome: chamaram-lhe princípio da neutralidade fiscal. As coisas começaram a correr mal logo em 2016.Os combustíveis subiram 19 cêntimos no gasóleo e 16 na gasolina e o Governo apenas reduziu 2 no gasóleo e 1 na gasolina. Os 3 restantes ficaram a prosperar nos cofres do Estado, num desvio que a UTAO, estimou em 250 milhões de euros”. O resultado, refere o deputado, são mais de 1000 milhões de euros a mais nos cofres do Estado e a menos no bolso dos portugueses.
Tendo em conta esta realidade, Cristóvão Norte afirmou que a iniciativa do PSD visa garantir que o Governo passa a cumprir os compromissos que faz com o país. “Que cumpre a neutralidade fiscal. Que desça, de forma imediata, o imposto sobre os produtos petrolíferos na medida da arrecadação de receita de IVA em excesso, como se tem verificado em 2018 com as sucessivas revisões em alta do preço. Os portugueses não devem pagar mais do que aquilo que resulta da evolução dos mercados. Mas também que, doravante, proceda a revisões trimestrais para que não tenha lugar, mais vez nenhuma, uma fatura injustificada de mais de 1000 milhões de euros para satisfazer a voragem fiscal do Governo”.

21-06-2018 Partilhar Recomendar
21-03-2019
PSD apresenta proposta para dinamizar o setor do táxi
    Paulo Rios de Oliveira refere que a iniciativa constitui uma mudança do antigo modelo e pretende contribuir para melhorar e inovação o setor.
21-03-2019
Imobilismo dos restantes partidos está a contribuir para o fim do sector do táxi
    No debate da proposta do PSD, Emídio Guerreiro afirmou que sem alterações este setor está condenado.
21-03-2019
Táxis: PS não tem propostas para o setor
    Virgílio Macedo acusou os socialistas de não terem propostas para o setor e de se limitarem a fazer oposição à oposição.
20-03-2019
Bloco de Esquerda é “fiscalmente insaciável”
    Jorge Paulo Oliveira afirmou que esse é mais um motivo para os bloquistas apoiarem um governo que é “campeão da carga fiscal”.
20-03-2019
A filosofia da esquerda “é tributar”
    Segundo Virgílio Macedo estes partidos pretendem “tributar tudo o que mexe, o que não mexe e o que pode vir a mexer”.
20-03-2019
PSD contra impostos europeus: “queremos a nossa autonomia fiscal”
    A posição dos sociais-democratas foi reiterada por Cristóvão Norte.
20-03-2019
“Governo, PS, BE e PCP têm vindo a competir para ver qual consegue ser mais eficaz a «depenar» os contribuintes”
    Em sentido contrário, Cristóvão Crespo afirmou que o objetivo devia passar pela redução da carga fiscal.
20-03-2019
“Não aceitamos aumentar mais a carga fiscal”
    Leonel Costa recordou que são já 34 os aumentos de impostos e taxas nesta legislatura.
19-03-2019
Passe Único: “medida eleitoral como nunca se viu”
    Fernando Negrão acusou o governo de apresentar a redução dos preços dos passes apenas para Lisboa e Porto e de não aumentar o número de transportes.
13-03-2019
Tratado Orçamental: quando se ignoraram as regras o país ficou à beira da falência
    Maria Luís Albuquerque sublinhou a importância de termos finanças públicas sustentáveis.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas