Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Incêndios: PSD exige saber como serão distribuídas as verbas do Fundo de Solidariedade da UE
Os deputados do PSD eleitos por Santarém entregaram no Parlamento uma pergunta dirigida ao Ministro do Planeamento e das Infraestruturas.
O PSD exigiu ao Governo que esclareça como serão distribuídas as verbas hoje aprovadas do Fundo de Solidariedade da União Europeia para apoiar Portugal na sequência dos incêndios do ano passado.
"Pode o governo assegurar que as ajudas previstas no Fundo de Solidariedade da União Europeia serão aplicadas de forma equitativa aos concelhos afetados na Região Centro e cujos prejuízos foram decisivos para atingir o montante mínimo exigido pelas regras de ativação do Fundo de Solidariedade da União Europeia?", questionam os sociais-democratas, numa pergunta hoje entregue no parlamento e dirigida ao ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques.
Na pergunta assinada pelos deputados eleitos por Santarém Duarte Marques, Nuno Serra e Teresa Leal Coelho, o PSD exige saber "de que forma será aplicada a verba atribuída a Portugal pelo Fundo de Solidariedade, em particular a que concelhos, com base em que critérios e a que prejuízos se aplicará".
Os sociais-democratas questionam ainda se o Governo prevê encontrar um mecanismo alternativo para apoiar a recuperação das infraestruturas municipais afetadas nas mesmas condições de financiamento (a 100%), caso este Fundo não seja mobilizado "para todos os concelhos gravemente prejudicados pelos incêndios".
Os deputados da comissão de orçamentos do Parlamento Europeu aprovaram hoje, em Bruxelas, a mobilização de 50,6 milhões de euros do Fundo de Solidariedade da União Europeia para ajudar Portugal na sequência dos incêndios florestais do ano passado.
A "luz verde" da comissão parlamentar -- que deverá ser confirmada pelo plenário em 30 de maio próximo, por ocasião da próxima sessão plenária em Estrasburgo -- foi dada no âmbito da apreciação à proposta da Comissão Europeia sobre ajudas financeiras a Estados-membros atingidos por catástrofes naturais em 2017, que foi aprovada com 24 votos a favor e dois contra.
No texto hoje entregue, o PSD recorda que já entregou três perguntas parlamentares sobre este tema dirigidas ao primeiro-ministro, António Costa, ao ministro das Finanças, Mário Centeno, e ao ministro Pedro Marques, todas elas sem resposta.
Na última dessas perguntas, em 10 de abril, o PSD acusou o Governo de se preparar para distribuir de forma diferenciada os apoios pelos concelhos da região Centro afetados pelos incêndios do ano passado, o que consideram ser discriminatório.
A acusação foi feita numa pergunta ao primeiro-ministro, António Costa, assinada por mais de 50 deputados do PSD.
No texto, os deputados do PSD alertavam que a Assembleia da República aprovou, por unanimidade, o alargamento de todas as medidas de apoio às vítimas de Pedrógão Grande aos restantes 20 concelhos afetados pelos incêndios e que foram incluídos pelo Governo no Fundo de Emergência Municipal.
"A verdade é que tal equiparação e alargamento de medidas não tem tido lugar. Segundo informação que chegou aos deputados do PSD, o Governo prepara-se para atribuir níveis diferentes de cofinanciamento para a recuperação das infraestruturas municipais", referiam.
De acordo com os deputados sociais-democratas, o Governo prepara-se "para financiar a 100% a reconstrução de equipamentos destruídos em determinados concelhos, mas apenas a 60% em concelhos como Mação e outros que arderam significativamente".
O PSD defende que o executivo não poderá aplicar os 50 milhões de euros aprovados na candidatura ao Fundo de Solidariedade da União Europeia "em apenas determinados concelhos à escolha do Governo", financiando nestes casos a 100% os prejuízos, e deixando os restantes limitados ao Fundo de Emergência Municipal, com limites de financiamento de 60%.
"Mais injusto se torna quando os prejuízos destes concelhos foram usados nas candidaturas de Portugal aos apoios da União Europeia, em particular ao Fundo de Solidariedade, mas o financiamento desse instrumento europeu será apenas dirigido a um conjunto reduzido de concelhos", referem.
Para o PSD, se tal se vier a confirmar, trata-se de uma clara violação da Constituição e da lei aprovada no parlamento.

17-05-2018 Partilhar Recomendar
18-06-2019
Fernando Negrão acusa António Costa de “não ser um Primeiro-Ministro para o povo”
    O líder parlamentar do PSD destacou ainda a “falta de transparência” do governo no processo de reconstrução das casas atingidas pelos incêndios.
13-05-2019
Cativações e cortes no investimento. “Chama a isto boa gestão das contas públicas?”
    Fernando Negrão acusou António Costa de fazer um “brilharete nas contas” à custa de corte no investimento.
10-05-2019
Bancadas do PS, BE e PCP “são a lavandaria política do governo socialista”
    No debate sobre o Fundo de Solidariedade Europeu, Rubina Berardo acusou as bancadas da esquerda de branquearem a atuação do governo.
10-05-2019
Gestão do Fundo de Solidariedade tem sido incompetente, imoral e uma vergonha
    Duarte Marques considera “indigno” que o governo queira ficar com o dinheiro destinado aos municípios afetados pelos incêndios.
10-05-2019
Incêndios: “o governo aproveita-se da desgraça alheia para financiar serviços públicos”
    António Lima Costa afirma que o governo desviou verbas europeias destinadas às zonas afetadas para financiar organismos da administração central sediados em Lisboa.
04-04-2019
“O Governo não consegue nomear pessoas qualificadas sem serem familiares?”
    Fernando Negrão entende que o “Governo está a funcionar em circuito fechado”.
03-04-2019
Governo só veio criar confusão e propaganda no combate aos incêndios
    Duarte Marques alertou que todas as autoridades estão desiludidas com as alterações promovidas pelo executivo.
03-04-2019
Incêndios: Estado tem de dar o exemplo e limpar os terrenos
    Emília Cerqueira destacou ainda o trabalho das forças e serviços de segurança.
21-02-2019
Incêndios: Relatório do Observatório Técnico Independente “coloca a nu a falta de estratégia do governo para uma verdadeira política florestal”
    Luís Pedro Pimentel enumerou vários dos erros cometidos pelo executivo.
21-02-2019
Governo ainda não implementou políticas públicas integradas e estruturantes de combate aos Incêndios Rurais
    Emília Cerqueira considera que, depois de ter falhado em 2017, o executivo continua a falhar.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas