Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Prevenção de incêndios: PSD pede ao governo que seja mais expedito e menos panfletário
Carlos Peixoto sublinhou que os sociais-democratas não vão descansar enquanto não assegurarem que as populações estão muito mais seguras do que estiveram em 2017.
Carlos Peixoto apresentou, esta sexta-feira, quatro iniciativas do PSD referentes à floresta e prevenção de incêndios. No início da sua intervenção, Carlos Peixoto começou por desmontar as encenações montadas pelo governo, sublinhando que, quando a dimensão das tragédias é gigantesca, “convenhamos que por pudor, há algum folclore, algum circo e há algumas declarações que se devem evitar. A par de ações meritórias que existem e que são louváveis e da hábil transferência de responsabilidades para os cidadãos e para os municípios, há nisto, por parte do governo, uma meticulosa fabricação de factos. Com dois objetivos: sacudir a ideia de que o governo falhou em 2017 e similar a ideia de que em 2018 está tudo providencialmente preparado”.
Frisa o social-democrata que “nada é mais ilusório”, acrescentando que, “infelizmente, uma coisa é o que parece e se anuncia, outra, bem diferente, é o que é”. Prova disso, adianta, são as 24 iniciativas que propõem ou aconselhem medidas que o governo ainda não adotou. “Não há um único partido, da esquerda à direita, que não tenha sugestões ou ações para fazer ao governo. Todos, sem exceção, acham que deve ser feito mais, melhor e diferente daquilo que o governo está a fazer, inclusivamente o PS”.
Para Carlos Peixoto, se o parlamento se mobiliza desta maneira, com esta expressividade, “é porque considera que não chega o que está ser feito e que a atual política florestal e de proteção civil está ainda muito aquém do nível de autossatisfação que este governo manifesta no dia-a-dia”.
De seguida, o Vice da “bancada laranja” recordou que este é já o quarto debate sobre incêndios, algo que pode fazer com que a opinião pública já esteja cansada em ouvir falar deste tema. Contudo, enfatiza, “o PSD nunca está cansado e não estará cansado de tudo fazer para assegurar que em 2018 as populações têm de estar muito mais seguras do que estiveram em 2017 e que os dramas como os de Pedrógão e os de 15 e 16 de outubro jamais se poderão repetir”.
Mas para que tal aconteça, refere, há “barracadas” por resolver, nomeadamente em relação aos meios aéreos, e o estado da arte não é tranquilizante. “No que respeita aos meios aéreos, o governo anda literalmente com a cabeça no ar. No que respeita aos meios em terra, o governo ainda não pôs os pés no chão. Ao contrário do que aconteceu em anos anteriores, a Diretiva Operacional Nacional, que estabelece o planeamento, organização e a coordenação de todos os meios operacionais, ainda não foi revelada. Se o tempo muda, e vai mudar, e se os incêndios voltam, e vão voltar, podemos ter de enfrentar um novo caos. Os avisos vêm de todo o lado e vêm, mais uma vez, da bancada do PSD que pede ao governo para que seja mais expedito, mais veloz, mais eficaz, mais responsável e menos temerário e panfletário”.
A terminar, Carlos Peixoto lembrou que apagados os incêndios, a memória das pessoas e o sofrimento das vítimas não se apagou. “E são essas que merecem que o Estado e o poder político estejam à altura das suas responsabilidades, projetando o futuro da proteção civil”, rematou.

13-04-2018 Partilhar Recomendar
02-11-2017
Desde 2016 que o governo reduz as verbas destinadas à prevenção e combate aos incêndios
    Carlos Abreu Amorim recordou que nem nos anos da troika esse valor foi tão reduzido.
27-10-2017
Nuno Serra frisa que a culpa dos incêndios reside na descoordenação e no combate
    O Vice-Presidente da bancada do PSD afirmou que o relatório da Comissão Técnica Independente comprova essas falhas.
27-10-2017
Pedrógão Grande: “o relatório da Comissão Técnica Independente demonstra que tudo falhou”
    No debate sobre o relatório, Teresa Morais frisou que “o Estado não pode falhar outra vez”.
25-10-2017
Governo incapaz, incompetente e politicamente negligente merece censura
    Luís Montenegro acusou António Costa de reagir a incêndios como “tecnocrata de mediana categoria”.
25-10-2017
O governo reduziu o dispositivo de combate aos incêndios para um nível inaceitável
    Maurício Marques lamentou que o executivo tenha ignorado os vários alertas.
25-10-2017
Incêndios: PSD defende isenção de iva para os bens e serviços dos que contribuem para a reconstrução
    Manuel Frexes requereu ainda para o distrito de Castelo Branco o acesso ao cadastro simplificado e aos fundos europeus.
24-10-2017
Incêndios: governo nada fez para evitar que a tragédia se repetisse
    Pedro Alves quis saber o que levou o Primeiro-Ministro a manter a Ministra da Administração Interna em funções.
24-10-2017
Margarida Balseiro Lopes quer saber por que motivo o governo não prolongou a fase Charlie
    A deputada recordou que o IPMA avisou que o dia 15 de outubro seria o dia mais perigoso do ano.
24-10-2017
Aveiro: governo tentou nomear para segundo comandante operacional distrital um boy socialista
    Amadeu Albergaria afirmou ainda que “o governo socialista, comunista e bloquista abandonou as populações e os meios de socorro à sua sorte”.
24-10-2017
Moção de Censura: António Costa falhou por causa da sua “incompetência, soberba e insensibilidade”
    O líder parlamentar do PSD acusou o Primeiro-Ministro de falhar nas horas difíceis.
Início Anterior Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas