Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
O PS não tem um propósito para o país e deixou-se levar pela esquerda-radical
Carlos Barros considera que temos “um governo tóxico para o país”.
No debate sobre as reformas antecipadas e as longas carreiras contributivas, Carla Barros questionou a bancada socialista sobre a encenação protagonizada pelos bloquistas. “Que encenação é esta em que temos um partido que apoia esta solução de governo a pedir explicações ao PS? O que é que está a acontecer neste Parlamento hoje, para que o BE, que subscreve juntamente com o PS os compromissos aos portugueses, esteja aqui a apresentar uma série de falhas e a apresentar um cartão vermelho ao PS?”
Segundo a deputada, os bloquistas pretendem aparecer com uma espécie de “alma limpa”, como se não tivessem nada a ver com aquilo que está a acontecer hoje. Contudo, vinca a deputada, o compromisso foi feito de forma conjunta, portanto “quando mentem aos portugueses, mentem de forma conjunta”.
De seguida, Carla Barros destacou que o tema das reformas antecipadas e longas carreiras contributivas é de especial interesse e de extrema importância para o Grupo Parlamentar do PSD. “Estamos a falar de um assunto que tem impacto direto e imediato na vida dos trabalhadores e no dia-a-dia das suas famílias. Reconhecemos que o sistema tem imperfeições que precisam de ser reparadas. Reconhecemos que há uma enorme necessidade de se fazer um debate sério, mas não ao abrigo deste oportunismo político e mediático feito pelo BE”.
No entendimento da deputada, os pensionistas estão à espera de uma resposta de todos os partidos que alimentam esta solução governativa. “Mas nós já não temos ilusões e tenho a certeza que os portugueses também já não. Já passaram quase 3 anos de governo e o que encontramos é um PS sem propósito para o país, sem coragem, que se deixou levar pela esquerda-radical”.
Depois de recordar vários exemplos semelhantes a este, como o caso dos precários que até hoje estão sem resposta, Carla Barros criticou esta forma de fazer política e sublinhou que passado quase 3 anos temos “um governo tóxico para o país”.

11-04-2018 Partilhar Recomendar
09-12-2015
Governo PS congelou o salário mínimo. Governo PSD/CDS aumentou-o.
    Clara Marques Mendes recordou que assim que a troika abandonou o país o Governo de Passos Coelho aumentou o salário mínimo.
03-12-2015
“Governo vai cortar mil milhões de euros nas prestações sociais dos mais pobres”
    Adão Silva frisou que o executivo ainda não conseguiu explicar onde vai fazer os cortes.
27-11-2015
PSD recomenda ao Governo a criação de um programa de desenvolvimento social
    A iniciativa dos sociais-democratas foi apresentada por Mercês Borges.
25-11-2015
Clara Marques Mendes acusa o PS de desrespeitar a concertação social
    Em causa atuação dos socialistas ao congelarem o salário mínimo nacional.
24-06-2015
Processo de requalificação não é um processo de despedimento
    Mercês Borges recordou que não houve um único despedimento.
18-06-2015
A mirabolante proposta socialista de redução da TSU pode representar o golpe fatal para a Segurança Social
    Na opinião de Pedro Roque tal medida irá descapitalizar fortemente o sistema.
18-06-2015
Em 2009 o PS “delapidou” a segurança social para aumentar as prestações sociais em véspera de eleições
    Recorda Joana Barata Lopes que os socialistas reverteram os aumentos após as eleições.
18-06-2015
O PCP é incapaz de despir a camisola partidária e de assumir compromissos
    Arménio Santos lamentou que os comunistas privilegiem a critica fácil.
28-05-2015
Governo e maioria continuam empenhados no combate ao flagelo do desemprego
    Mercês Borges lamentou que a oposição não se congratule com a diminuição do desemprego.
28-05-2015
“Nos últimos oito trimestres a população empregada teve um aumento de mais de 122 mil pessoas”
    Pedro Roque recordou ainda que por cada emprego criado com contrato a termo, foram criados 2,8 empregos com contrato sem termo.
Início Anterior Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas