Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
O emprego precário não diminuiu e o fosso salarial não se reduz
Clara Marques Mendes considera que o mérito é sobretudo dos empresários, dos trabalhadores e das condições exteriores excecionalmente favoráveis.
No final do debate sobre a Economia e o Emprego, agendado pelo PSD, Clara Marques Mendes frisou que o governo está deslumbrado com os números do crescimento económico. Reconhecendo que os números são bons, a parlamentar adiantou que estes podiam ser melhores. “A maior parte dos países da União Europeia está a crescer mais do que Portugal. E os países com os quais nos devemos comparar estão praticamente todos a crescer acima dos 3%, mais do que o nosso país. Por que é que isto sucede? Porque estamos a crescer, apenas e só, à boleia do crescimento da Europa. Se as políticas internas ajudassem, Portugal não estaria a crescer apenas 2,7%. Estaríamos a crescer muito mais e com muito maior ambição”.
De seguida, a social-democrata recordou que este crescimento é feito com base no modelo que o PSD sempre defendeu e que o PS sempre contestou. “ Para o Governo, há dois anos, o consumo é que seria o grande garante do crescimento da economia. Dois anos depois, sucede o contrário. Os dois grandes motores do crescimento da nossa economia são o investimento e as exportações. Ou seja, o deslumbramento do governo é, apenas e só, um exercício de arrogância política e intelectual. Afinal, estamos a crescer apesar do governo, sem a ajuda do governo e contra o modelo que o governo defendia. O mérito é sobretudo dos empresários, dos trabalhadores, da Europa e das condições excecionalmente favoráveis que nos sopram do exterior”.
Outro dos deslumbramentos do executivo, refere Clara Marques Mendes, resido nos números do desemprego. “É verdade que há números positivos, na criação de emprego e na redução do desemprego. Mas há uma outra face da verdade que um governo, ainda por cima de esquerda e apoiado pela extrema-esquerda, não pode ignorar: o emprego precário não diminui, o fosso salarial não se reduz e a desigualdade salarial entre homens e mulheres não se atenua nem melhora. A falta de investimento no ensino profissional é uma realidade inquietante. E nem sequer há um esboço de reflexão sobre as tendências do futuro. Ou seja, em matéria de emprego, o governo não se preocupa muito com o futuro e muito menos em ter uma visão estratégica sobre o futuro”.
Dirigindo-se às bancadas da esquerda a deputada enfatizou que precisamos de mais emprego mas também de melhor emprego. “Emprego mais qualificado e melhor remunerado; de emprego que valorize as mulheres e não as discrimine de forma injusta. Precisamos de uma aposta na educação e de um investimento na formação que nos permita encarar com maior sucesso o presente e encarar com redobrada esperança os desafios do futuro. Precisamos de um Governo que seja menos deslumbrado e mais ativo, menos arrogante e mais participativo; menos retórico e mais cooperante com a sociedade civil, com os parceiros sociais e com a concertação social. Em suma, precisamos de um Governo, que seja governo e não a máquina eleitoral do Partido Socialista”.
A concluir, Clara Marques Mendes acusou o governo de ser um “catavento” em matéria de legislação laboral. “Por nós, somos a favor da estabilidade da legislação laboral. Somos a favor de condições mais favoráveis para o investimento, nacional e estrangeiro. Somos a favor de uma maior aposta na capitalização das nossas empresas. Somos a favor de um investimento sério na formação dos trabalhadores de hoje e na melhoria da qualificação dos jovens que desafiam o futuro. Foi por isso que fizemos este debate. Para mostrar as debilidades do Governo. Para afirmar as nossas diferenças, para reafirmar a importância de uma alternativa. Afinal, não precisamos de mais governo, precisamos de um governo melhor”.

09-03-2018 Partilhar Recomendar
19-03-2019
Passe Único: “medida eleitoral como nunca se viu”
    Fernando Negrão acusou o governo de apresentar a redução dos preços dos passes apenas para Lisboa e Porto e de não aumentar o número de transportes.
13-03-2019
PIN Pedras Salgadas: “parece-nos difícil haver projetos desta importância que sejam construídos contra as populações”
    Paulo Rios de Oliveira considera que estamos perante um difícil divórcio quando a população deixa de falar no “seu local” e passa a falar no “local deles”.
15-02-2019
Regulação dos Drones: “3 anos para isto?”
    Joel Sá referiu que a proposta apresentada pelo governo foi considerada uma “aberração jurídica”.
17-01-2019
Proposta do PS para limitar a disparidade salarial é o reconhecimento do falhanço do seu governo
    Contudo, Sandra Pereira adiantou que esta matéria merece uma discussão séria e aprofundada, especialmente em sede de concertação social.
05-12-2018
Clara Marques Mendes: PCP e BE insistem em fingir que são oposição
    A deputada lembrou a estes partidos que apoiam o governo e apelou a que “não finjam ser o que não são”.
30-10-2018
Há um ano que existe queda da atividade económica
    No entender de Paulo Rios de Oliveira, são necessárias reformas que melhorem a competitividade das empresas e a estabilidade fiscal.
10-10-2018
Tancos: “senhor Primeiro-Ministro, não acha que já fomos longe demais?”
    Fernando Negrão considera que este caso exigia intervenção imediata da hierarquia militar e da tutela política.
28-09-2018
Atividade seguradora e resseguradora: “vender gato por lebre passará a ser mais difícil”
    Carlos Silva declarou o apoio do PSD à implementação da diretiva europeia, mas lamentou a demora do executivo na transposição.
28-09-2018
PSD contesta a forma como o governo tratou o processo de alteração ao Código da Propriedade Industrial
    Paulo Rios de Oliveira referiu que esta alteração tem um enorme impacto económico e social e que, por isso, não pode ser feita “às três pancadas”.
20-09-2018
Plano Nacional de Investimento: Emídio Guerreiro assinala a “hipocrisia dos socialistas”
    O deputado acusou o governo de procurar disfarçar o insucesso do executivo no que toca ao investimento público.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas