Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
“Este é um governo sozinho e esgotado”
Hugo Soares afirmou que em questões estruturais o governo não pode contar com BE e PCP e questionou António Costa sobre o Infarmed e sobre o “flick flack à retaguarda” do PS em relação ao imposto das renováveis.
No debate quinzenal com o Primeiro-Ministro sobre “Coesão Social e Redução das Desigualdades”, Hugo Soares confrontou António Costa com o mais recente estudo publicado sobre a forma como Portugal lidou com as desigualdades sociais no período mais difícil da crise. Segundo esse estudo, refere o líder parlamentar do PSD, «Portugal era um país com muito maiores desigualdades antes da crise e, tendo sido obrigado a apertar o cinto, conseguiu fazê-lo protegendo os elementos mais vulneráveis da sociedade». Quer isto dizer, adianta o deputado, que desde 2014 que a desigualdade na distribuição de rendimentos e a taxa de intensidade da pobreza vinham a diminuir. Frisando que neste aspeto o PSD “não leva lições de ninguém”, Hugo Soares afirmou que combater as desigualdades é também criar condições nos serviços públicos para que os portugueses possam aceder e ter neles aquilo que esperam. Nesse âmbito, o social-democrata questionou ao Primeiro-Ministro se tem “estado alerta” para as chamadas de atenção relativamente ao surto da gripe e se os portugueses podem estar descansados relativamente à preparação deste período mais difícil.
Outro dos temas levado a debate por Hugo Soares foi a transferência do Infarmed para o Porto. Lembrando o anúncio que foi feito pelo Ministro da Saúde e um conjunto de declarações do governo que diziam “tudo e o seu contrário”, o deputado perguntou diretamente a António Costa se estamos perante uma intenção ou se se trata de uma decisão política de transferir o Infarmed para o Porto. “A leviandade e ligeireza desta tomada de decisão é um ultraje para as gentes do Norte e para as gentes do Porto. Quando se fala em desconcentração de serviços, em descentralização, estas matérias deviam ser pensadas e estudadas. E o senhor Primeiro-Ministro tem dado provas de que não faz uma coisa nem outra”, sublinhou.
Depois de acusar António Costa de não ter pensado esta matéria, o líder da “bancada laranja” confrontou o governante com a decisão da esquerda de chumbar a proposta do PSD de isenção de IMI para as habitações que arderam nos incêndios deste ano. “Queria-lhe propor um exercício. O senhor Primeiro-Ministro mora em Pedrógão Grande. A sua casa ardeu porque o Estado falhou e o mesmo Estado vai-lhe continuar a cobrar impostos por uma casa que já não tem. E eu queria-lhe perguntar se é justo ou injusto aquilo que os senhores aqui fizeram?”
A terminar, Hugo Soares abordou a “cambalhota” dos socialistas que alteraram a sua votação de sexta para segunda-feira, naquilo a que já ficou conhecido como o imposto sobre as energias eólicas. Questionando qual a razão que levou António Costa a ordenar à bancada socialista para que fizesse um “flick flack à retaguarda” e mudasse o seu sentido de voto, o parlamentar lamentou que o respeito pelos compromissos assumidos pelo Estado surja apenas como uma desculpa do governo neste caso e não como uma posição coerente do executivo. “A verdade é que nessa como em outras questões estruturais que são essenciais para o crescimento da economia, para a confiança dos investidores no nosso país, questões estruturais para o nosso futuro coletivo, este é um governo sozinho e esgotado. Essa é a questão que importa ficar: para aquilo que o senhor Primeiro-Ministro considera estrutural já não tem nem o apoio do BE, nem o apoio do PCP”, rematou.

06-12-2017 Partilhar Recomendar
Hugo Soares questiona o Primeiro-Ministro
Hugo Soares questiona o Primeiro-Ministro
Hugo Soares questiona o Primeiro-Ministro
Hugo Soares questiona o Primeiro-Ministro
Hugo Soares questiona o Primeiro-Ministro
Hugo Soares questiona o Primeiro-Ministro
23-05-2018
“Incompatibilidade do Ministro Pedro Siza Vieira não tem consequências?” Fernando Negrão exige esclarecimentos “a bem da ética”
    No debate quinzenal com o Primeiro-Ministro, Fernando Negrão questionou ainda António Costa sobre valorização do interior e os problemas no sector da Saúde.
18-05-2018
Coimbra: PSD defende a realização de obras no Centro de Saúde da Fernão de Magalhães
    Os sociais-democratas consideram a situação preocupante e pedem a intervenção do Ministro da Saúde.
18-05-2018
PSD defende a presença obrigatória de nutricionistas/dietistas nas instituições que prestam cuidados a idosos
    A iniciativa dos sociais-democratas foi apresentada pela deputada Susana Lamas.
17-05-2018
Incêndios: PSD exige saber como serão distribuídas as verbas do Fundo de Solidariedade da UE
    Os deputados do PSD eleitos por Santarém entregaram no Parlamento uma pergunta dirigida ao Ministro do Planeamento e das Infraestruturas.
11-05-2018
“O Governo transformou o Serviço Nacional de Saúde no Serviço Nacional da Doença”
    Ricardo Baptista Leite alerta que os “portugueses estão cada vez mais doentes” e que este "descalabro" é culpa do atual governo.
09-05-2018
"Por que razão o PS demorou mais de três anos a demarcar-se de José Sócrates?"
    Fernando Negrão levou o “Caso Sócrates” ao debate com o Primeiro-Ministro, onde também desafiou António Costa a responder se o País está preparado para os incêndios.
02-05-2018
PSD defende a consagração do dia 15 de junho como o Dia Nacional da Doença de Huntington
    Ângela Guerra apresentou a iniciativa dos sociais-democratas.
02-05-2018
Carlos Peixoto: “os portugueses têm o direito de saber o que se passou no dia dos incêndios de Pedrógão”
    Perante as notícias de que foram destruídos documentos sobre o incêndio de Pedrógão Grande, o social-democrata solicitou ao governo a divulgação do relatório.
02-05-2018
Nisa: resíduos hospitalares a céu aberto preocupam deputados do PSD
    Os sociais-democratas questionaram os Ministros da Saúde e do Ambientes sobre os riscos inerentes a esta descoberta anómala e estranha.
30-04-2018
Deputados do PSD exigem intervenção imediata no Centro de Saúde da Fernão Magalhães
    Fátima Ramos, Margarida Mano e Maurício Marques verificaram “a elevada degradação das instalações e a falta de recursos humanos”.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas