Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
“PS castiga consecutivamente as novas gerações com mais dívida e mais impostos”
Simão Ribeiro enfatizou que o Orçamento não resolve os problemas dos jovens portugueses.
“A crítica popular de que os políticos só se preocupam com o imediato e com os seus interesses eleitorais assenta que nem uma luva a vossas excelências e a este Orçamento do Estado. A preocupação com o futuro do país, de facto nunca foi apanágio do PS. A dívida que cabia a cada português há 25 anos era de 3.600€. Hoje, passados 25 anos e 5 governos socialistas, é de perto de 24 mil euros. É factual: o PS castiga consecutivamente as novas gerações com mais dívida e mais impostos”. Foi com estas palavras que Simão Ribeiro iniciou a sua intervenção, esta sexta-feira, no debate na generalidade do Orçamento do Estado para 2018.
De seguida, o parlamentar recordou hoje que um português passa mais de metade do ano a levantar-se e a ir trabalhar para pagar impostos para o governo escolher aumentar a despesa estrutural, aumentando, ainda mais, o peso do Estado sobre os trabalhadores e sobre quem cria emprego. “Podemos falar do capítulo das cativações, em que durante estes anos assistimos a um autêntico rasgar de vestes por parte da esquerda portuguesa e agora, pelo terceiro orçamento consecutivo, baixam os olhos. E baixam-nos porque sabem que estão a ser coniventes com ataques à qualidade do serviço público na saúde, na educação, na administração interna, na defesa e em todo o funcionamento quotidiano do Estado”.
No que respeita aos jovens, o líder da JSD frisou que este Orçamento não resolve os problemas dos jovens portugueses que procuram emprego em Portugal, porque não incentiva a iniciativa privada, antes a castiga com impostos adicionais. “O Orçamento que não resolve os problemas dos jovens portugueses que procuram uma habitação condigna nos centros urbanos. Não apresentam nenhuma solução estrutural que auxilie o arrendamento de habitação por parte dos jovens que, legitimamente, ambicionam emancipar-se. Um Orçamento que, no ensino superior, quando as universidades ainda não receberam este ano os reforços para reposição de carreiras, para o aumento do subsídio de refeição e para o aumento do salário mínimo, os senhores anunciam um putativo aumento”.
A terminar, Simão Ribeiro declarou que este é o Orçamento das fake news. “Parece que vai melhorar a vida dos portugueses, mas não melhora. Os impostos indiretos aumentam, os impostos sobre trabalhadores independentes aumentam, as cativações mantêm-se, as dificuldades para as próximas gerações aumentam. Contudo, para este governo, parece que vivemos no país das maravilhas”.

03-11-2017 Partilhar Recomendar
03-11-2017
Este é um “Orçamento de fação” cujas prioridades apontam para a satisfação dos interesses eleitorais da esquerda
    Luís Marques Guedes criticou a Proposta do Governo e lembrou que os anteriores orçamentos foram “mentirosos” e contaram com a “cumplicidade sonsa” da esquerda.
03-11-2017
Há finalmente um reconhecimento de que as políticas do governo PSD/CDS tiveram efeitos positivos
    Clara Marques Mendes manifestou a sua satisfação por ver o governo reconhecer que durante a anterior governação o emprego aumentou e o desemprego diminuiu.
03-11-2017
Pensões mais baixas têm um aumento inferior ao das pensões mais elevadas
    Adão Silva considera que o governo se prepara para cometer “uma profunda injustiça”.
03-11-2017
“Este é um Orçamento ideológico a pensar na manutenção do poder e não nos portugueses”
    Luís Leite Ramos considera que este Orçamento prossegue um caminho errado e eleitoralista.
03-11-2017
“O acesso dos doentes aos cuidados de saúde continuará a degradar-se”
    Miguel Santos alerta que com o aumento da dívida aos fornecedores os hospitais do SNS enfrentam um sério risco de rutura financeira.
03-11-2017
PCP afirma lutar contra a austeridade, mas depois vota um Orçamento que a agrava
    Sérgio Azevedo colocou em evidência a dicotomia entre o discurso do PCP no país e os seus votos no Parlamento.
03-11-2017
“Bloco é cúmplice no pecado original deste Orçamento”
    Rubina Berardo acusou os bloquistas de caucionarem uma proposta que ataca trabalhares independentes e aumenta impostos indiretos.
03-11-2017
Governo não orçamenta verba para a construção do novo Hospital da Madeira
    Sara Madruga da Costa desafiou o governo a cumprir a promessa feita aos madeirenses.
03-11-2017
António Ventura exige ao governo verbas para a descontaminação dos solos e aquíferos na Ilha Terceira
    O deputado lembrou que esta é uma situação que está a afetar a saúde humana e o ambiente.
03-11-2017
Este Orçamento persiste com a desconfiança em relação à iniciativa privada
    Segundo Inês Domingos o executivo governa de costas voltadas para os empreendedores, para as empresas e para a área social.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas