Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Governo incapaz, incompetente e politicamente negligente merece censura
Luís Montenegro acusou António Costa de reagir a incêndios como “tecnocrata de mediana categoria”.
Luís Montenegro considera que o governo “merece censura” pelo “falhanço” na resposta aos incêndios, e recordou que António Costa, enquanto líder parlamentar na oposição, considerava a moção de confiança uma forma de clarificação.
No encerramento do debate da Moção de Censura motivada pelas falhas do governo nos Incêndios Trágicos de 2017, o ex-líder parlamentar do PSD frisou que “a questão que esta moção coloca é simples: a ação, omissão, confusão que o Governo teve ao enfrentar os fogos florestais merece ou não uma censura política do Parlamento? Merece sim senhor”, afirmou.
O social-democrata criticou o Primeiro-Ministro por, na madrugada de 15 para 16 de outubro, aparecer ao país “não como um político hábil e experiente, mas como um tecnocrata de mediana categoria”, insistindo na concretização da reforma da floresta. “Um Primeiro-Ministro que chefia assim o Governo e que trata o seu povo com tamanha insensibilidade é um Primeiro-Ministro de um governo que merece censura do Parlamento”, criticou.
De seguida, Luís Montenegro recuperou no debate uma intervenção de António Costa quando este era líder parlamentar do PS, então na oposição, e o Governo PSD/CDS-PP liderado por Durão Barroso apresentou uma moção de confiança, dizendo que nessa altura o atual Primeiro-Ministro considerou essa “clarificação muito positiva”. Perante a recusa de António Costa em apresentar uma Moção de Confiança, na sequência de um desafio feito pelo PSD, o parlamentar frisou que a “a palavra dada mais uma vez não foi honrada”.
Mas também a postura de PCP e BE mereceu reparos do deputado. O parlamentar lamentou que, num momento em que o Governo merece “a censura audível”, as bancadas do PCP e do BE também façam críticas mas “numa voz mais baixinha que não se vai expressar na votação”.
Luís Montenegro voltou a manifestar a disponibilidade do PSD para participar em consensos nas matérias da prevenção e combate aos incêndios, mas lembrou que o governo rejeitou várias propostas dos sociais-democratas no Parlamento e pediu que o consenso não se confunda com o silêncio. “O que queriam era o silêncio do PSD e do CDS, mas esse silêncio não é próprio do regime democrático, é próprio das ditaduras, regimes que os senhores conhecem muito melhor do que nós”, criticou, sublinhando que a função cimeira da oposição é fiscalizar o Governo.
Dizendo que, “posto à prova o Governo falhou”, Luís Montenegro deixou ainda críticas à anterior Ministra da Administração Interna. “Eu sou humano e sei colocar-me na situação dos outros, a anterior Ministra imagino os tormentos e angústia que sofreu e tenho respeito por isso, mas tal não pode inibir uma apreciação política”, disse, acusando Constança Urbano de Sousa de ter “mentido ao país com a cumplicidade do Primeiro-Ministro”.
No final da sua intervenção, Luís Montenegro voltou a criticar a génese do atual Governo, que “só existe com o objetivo de não existir outro”, liderado pelo PSD. “Um dia haveremos de voltar a liderar o governo, mas nessa altura esse governo não vai existir para evitar que exista o vosso, vai existir para cuidar da vida das pessoas e sobretudo para não falhar como este falhou”, rematou.

25-10-2017 Partilhar Recomendar
13-04-2018
Maurício Marques exige ao que governo apoie os pequenos agricultores afetados pelos incêndios
    O deputado defendeu a abertura de uma nova fase de candidaturas para apoiar os “lesados pela incompetência do governo”.
13-04-2018
“Estamos a um mês da época de incêndios e ninguém sabe quais são os meios operacionais disponíveis”
    Duarte Marques alerta que, mais uma vez, “está tudo atrasado”.
13-04-2018
Prevenção de incêndios: PSD pede ao governo que seja mais expedito e menos panfletário
    Carlos Peixoto sublinhou que os sociais-democratas não vão descansar enquanto não assegurarem que as populações estão muito mais seguras do que estiveram em 2017.
10-04-2018
Incêndios: PSD acusa o governo de discriminação na distribuição de apoios
    Os sociais-democratas contestam a opção do governo de distribuir de forma diferenciada os apoios aos concelhos afetados pelos incêndios.
05-04-2018
Cultura: governo não honrou a palavra dada
    Fernando Negrão saudou os agentes culturais por terem desencadeado a maior onda de contestação na Cultura das últimas décadas.
04-04-2018
Incêndios: “temos hoje um país sem meios e sem uma estratégia sustentável para combater os fogos”
    Nuno Serra lamenta que “o Governo continue fechado na sua propaganda, desprezando qualquer conselho ou proposta da oposição”.
04-04-2018
Luís Pedro Pimentel considera que a preparação da época de incêndios está a falhar
    O deputado entende que, à parte de todo o enredo em torno da limpeza do mato e do corte de árvores junto às habitações, a preparação é pouca.
04-04-2018
Emília Cerqueira: discurso do governo choca com a realidade
    A deputada apelou ao Ministro da Administração Interna para colocar mais seriedade e menos demagogia no debate.
04-04-2018
Duarte Marques: “preparação da época de incêndios está ainda mais atrasada”
    O social-democrata acusou o executivo de não ter aprendido nada com as desgraças do ano passado.
28-03-2018
Incêndios de outubro: o governo falhou em toda a linha no combate às chamas
    Maurício Marques alerta ainda que a 2 meses do início da época mais crítica, ninguém conhece a estratégia para a defesa da floresta e populações.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas