Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Luís Montenegro desafiou o Ministro das Finanças a dizer onde cortou mil milhões de euros e quais as consequências
O líder parlamentar do PSD enfatizou que a austeridade manhosa colocou os serviços públicos à míngua.
No encerramento do debate de atualidade, marcado pelo PSD, sobre a “falta de Transparência nos cortes de despesa nos serviços públicos”, Luís Montenegro destacou a falta de transparência naquilo que toca à gestão das finanças públicas. Segundo o líder parlamentar do PSD, contrariamente ao atual governo, o anterior executivo não escondias as alterações orçamentais: elas eram assumidas, eram discutidas e aprovadas. “Agora, que os senhores alteram a vossa política orçamental depois de verem goradas as vossas expectativas sobre a vossa estratégia, os senhores complementaram as políticas orçamentais para atingir o défice cortando cegamente na despesa. Foi isso que aconteceu: na saúde, da educação, no sistema público de transportes, na segurança e na defesa. E os senhores não tiveram a coragem de assumir perante o país aquilo que fizeram. Esta austeridade é manhosa, porque os senhores não a assumem. E custa muito ver o PCP e o BE a aplaudirem esta austeridade e o que se passa hoje em Portugal com os serviços públicos à míngua, a acumularem pagamentos em atraso e a diminuírem a prestação e a qualidade dos serviços”.
Sublinhando que foram 942 milhões de euros cativados, o social-democrata questionou ao Ministro das Finanças onde foram feitos cortes. “Porque não diz o que deixou de fazer, o que é que estava planeado e não foi feito. Desafio o senhor Ministro das Finanças a enviar ao parlamento, a mostrar aos portugueses qual foi o programa, qual o serviço, qual o organismo que deixou de fazer aquilo que estava planeado. O Orçamento do Estado não pode ser letra morta”, frisou o deputado.
No que respeita aos partidos que suportam o governo e compactuam com estas cativações, Luís Montenegro reconheceu que a deputada Mariana Mortágua veio dizer que a execução não corresponde ao que aprovou. Contudo, questionou, “qual foi a consequência que retirou disso? Continuar a bater palmas à política orçamental do governo”.
A terminar, Luís Montenegro afirmou que “não há magia possível na gestão económica e financeira do país. Há truques para esconder o que se faz na política económica e financeira. Os senhores retificaram o caminho, mas não assumiram essa mudança. O país teve um investimento ridículo em 2016, os serviços públicos foram abandonados, falta dinheiro nos bombeiros, falta dinheiro nas escolas, falta dinheiro nas unidades de saúde, falta dinheiro nas forças de segurança e é preciso que os senhores tenham coragem de dizer onde é que cortaram, porque é que cortaram e qual o efeito desses cortes”.

07-07-2017 Partilhar Recomendar
20-10-2017
Cativações colocaram em causa a qualidade dos serviços públicos
    Duarte Pacheco afirmou que até o PCP reconhece essa realidade.
20-09-2017
PSD apresenta propostas para reforçar a supervisão financeira e completar a União Bancária
    Maria Luís Albuquerque sublinhou a necessidade de alterações que conduzam à proteção dos contribuintes e a uma sustentada confiança no mercado e nas instituições.
19-07-2017
António Leitão Amaro acusa PS, PCP e BE de fazerem um perdão à banca de 630 milhões de euros
    O Vice-Presidente da bancada do PSD alertou que quem paga são os contribuintes.
07-07-2017
“Este é o governo da instabilidade fiscal sobre as famílias e sobre a economia”
    Jorge Paulo Oliveira acusou o governo de estar constantemente a alterar impostos e benefícios fiscais.
07-07-2017
Cativações do governo levaram o Estado a falhar nas suas funções essenciais
    António Leitão Amaro afirmou que, contrariamente ao que era dito pela propaganda da esquerda, em 2016 o governo cativou mil milhões de euros.
06-07-2017
“O ano de 2015 foi marcado pela continuação da recuperação da atividade económica”
    No debate da Conta Geral do Estado de 2015, Cristóvão Crespo lamentou que esta trajetória não se tenha mantido em 2016.
23-06-2017
Solução para lesados do BES: governo coloca portugueses contra portugueses
    Carlos Silva acusou a geringonça de estar a “ilibar vigaristas que venderam banha da cobra aos clientes bancários”.
12-06-2017
Governo atua fora da lei e desrespeita as instituições
    A acusação foi deixada por Duarte Pacheco no Plenário.
12-06-2017
António Leitão Amaro: “o Primeiro-Ministro faltou à verdade ao Parlamento”
    O deputado considera que a retirada de 3 territórios da lista negra de Offshores foi conduzida pelo governo de uma forma que “só levanta e agrava a suspeita”.
23-05-2017
Luís Montenegro acusa o Governo de viver “à custa da herança”
    O líder parlamentar do PSD frisou que o executivo tem de colocar Portugal a crescer pelo menos o dobro do que crescemos no ano passado.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas