Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Luís Montenegro acusa o Governo de viver “à custa da herança”
O líder parlamentar do PSD frisou que o executivo tem de colocar Portugal a crescer pelo menos o dobro do que crescemos no ano passado.
No primeiro debate quinzenal após a decisão da Comissão Europeia de recomendar a saída de Portugal do Procedimento por Défice Excessivo, Luís Montenegro começou por recordou que é a terceira vez que nos últimos 15 anos Portugal sai do procedimento por défice excessivo, enfatizando que isto “não é vida para um país”. Recordando a dureza das medidas que tiveram de ser adotadas desde 2010 para que esta saída acontecesse, o líder parlamentar do PSD sublinhou que agora importa não desbaratar o esforço feito.
“É preciso não desbaratar o esforço feito. E crescer muito mais do que em 2016, pelo menos o dobro do que crescemos no ano passado,” disse o social-democrata, felicitando o Governo por “ter dado continuidade a esse caminho de baixar o défice que vinha sendo percorrido desde 2011”.
De seguida, o “líder da bancada laranja” afirmou que o país tem de saber se o Primeiro-Ministro quer deixar de viver dos rendimentos da herança que recebeu, ou se quer acrescentar valor à sua passagem pelo governo para poder projetar o futuro. “Não se esqueça que recebeu um país a crescer, com défice a diminuir e muito, com o desemprego a baixar e tudo isso fruto de várias reformas estruturais feitas de 2011 a 2015. Para além disso, o senhor tem hoje uma conjuntura muito favorável, porque tem a Europa a recuperar economicamente, o preço do petróleo a baixar e vê uma procura turística como nunca tivemos”. Face a esta herança e conjuntura, Luís Montenegro insistiu na questão de saber se António Costa pretende continuar a viver à conta dessa herança e conjuntura, ou se quer aproveitar e projetar o país para um ciclo de crescimento verdadeiramente duradouro e sólido para as próximas décadas.
No que respeita à posição do PCP e do BE, que não festejam a saída de Portugal do procedimento por défice excessivo, o deputado afirmou que estes partidos estão já a projetar a melhor forma para desaproveitar o esforço que fizemos nos últimos anos.
A terminar, Luís Montenegro questionou a António Costa quando é que é finalizado o processo de venda do Novo Banco, em que ponto está o processo de concretização para os lesados do BES, onde está a solução para o crédito malparado e o que levou o governo a criar mais 3900 precários na administração pública.

23-05-2017 Partilhar Recomendar
29-11-2017
PSD apresenta propostas para apoiar as empresas e os territórios que foram atingidos pelos incêndios
    Luís Leite Ramos frisou que estas medidas são urgentes e visam resolver problemas que afetam empresas e populações.
03-11-2017
“Este é um Orçamento ideológico a pensar na manutenção do poder e não nos portugueses”
    Luís Leite Ramos considera que este Orçamento prossegue um caminho errado e eleitoralista.
03-11-2017
“No Orçamento para 2018 não há uma visão de futuro para o país”
    Para Maria Luís Albuquerque é de lamentar que “quem tem a responsabilidade de governar desperdice deliberadamente a oportunidade de assegurar um futuro mais sustentável”.
27-10-2017
Joel Sá enfatiza importância da indústria da ourivesaria
    No debate sobre o regime jurídico da ourivesaria e das contrastarias, o deputado manifestou a disponibilidade do PSD para a revisão desse regime.
20-10-2017
Cativações colocaram em causa a qualidade dos serviços públicos
    Duarte Pacheco afirmou que até o PCP reconhece essa realidade.
19-10-2017
PSD apresenta iniciativa para reforçar a defesa da concorrência
    António Leitão Amaro afirmou que o Projeto de Lei dos sociais-democratas vai proteger os portugueses e contribuir para uma economia mais aberta e mais livre.
19-10-2017
Esquerda está ávida de receita fiscal para compensar os erros estratégicos que estão a ser cometidos
    Só desta forma, refere Carlos Silva, se pode compreender o regime sancionatório aplicável ao Crowdfunding apresentado pelo executivo.
20-09-2017
PSD apresenta propostas para reforçar a supervisão financeira e completar a União Bancária
    Maria Luís Albuquerque sublinhou a necessidade de alterações que conduzam à proteção dos contribuintes e a uma sustentada confiança no mercado e nas instituições.
18-09-2017
CETA significa a concretização de uma efetiva cooperação política e económica entre a União Europeia e o Canadá
    José Cesário reconheceu que este acordo implica grandes desafios para o nosso universo empresarial e laboral.
07-09-2017
"PS opta por se salvar em detrimento do desenvolvimento e do progresso de Portugal”
    Teresa Leal Coelho alerta para o que se está a passar com a Autoeuropa, sublinhando que serão os portugueses que irão pagar o preço da obsessão ideológica da esquerda radical legitimada pelo PS.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas