Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Maioria carregará fardo de ter desperdiçado oportunidade histórica
No debate sobre o Estado da Nação, o líder do PSD acusou António Costa e a maioria de esquerda de estar a fazer o país andar para trás.
No primeiro debate sobre o Estado da Nação desta nova maioria, Pedro Passos Coelho começou por cumprimentar o Governo e o Primeiro-Ministro por, até hoje, ter tido uma maioria que se tem mostrado coesa e operativa. Sublinhando que as consequências dessa coesão serão mais tarde conhecidas, o líder do PSD prosseguiu a sua intervenção lembrando o ponto de partida deste Governo e lamentando que António Costa tenha procurado reinterpretar a história. Segundo Passos Coelho, no início desta legislatura o país estava confinante de ter encerrado um dos períodos mais difíceis e de ter invertido as tendências que originaram essa situação. “Conseguimos fazer uma correção das contas públicas, conseguimos recuperar economicamente a situação do país, tivemos lugar a alguma recuperação da poupança e lançou-se um conjunto de reformas estruturais importantes para que o país ganhasse competitividade e pudesse sustentar o crescimento para futuro. A situação comportava desequilíbrios e riscos importantes, sabemos que tínhamos e temos o desemprego demasiado elevado, temos níveis de dívida pública e privada significativos, o que significa que numa visão de médio e longo prazo os grandes objetivos deviam ser razoavelmente inquestionáveis. O país devia seguir uma via de desendividamento, devíamos aprofundar as reformas estruturais de maneira a ter uma economia ainda mais aberta e competitiva, precisávamos de atrair e dinamizar o investimento e intensificar o emprego, reforçar a poupança, prosseguir o saneamento financeiro e a consolidação das finanças públicas”.
Contudo, adianta o social-democrata, o Governo e esta maioria fixaram-se no curto prazo e na retórica da inversão da austeridade. “Prometeram um modelo de crescimento económico que era dinamizado pelo consumo e que permitiria um crescimento assente também no investimento público que geraria uma economia mais pujante e mais emprego. Hoje, olhamos para os resultados e sabemos que o desendividamento não chegou a acontecer, as reformas estruturais têm sido revertidas e outras com promessas de reversão, o investimento tem caído a pique e o emprego ou estagna ou destrói-se. Exacerbamos riscos orçamentais, adiamos despesas e aumentam os atrasados. Tudo ao contrário do que era estrategicamente importante para o país”. Face a este cenário, Pedro Passos Coelho é perentório a afirmar que o resultado é claro: “o país está a andar para trás”. “Não vale a pena estar com desculpas esfarrapadas, nem vale a pena estar a ensaiar a rescrição da história, os responsáveis desta maioria carregarão o fardo de terem desperdiçado a oportunidade histórica de recuperar de uma situação muito difícil”, concluiu.

07-07-2016 Partilhar Recomendar
Intervenção de Passos Coelho no debate sobre o Estado da Nação
22-11-2019
Rui Rio e Pinto Balsemão eleitos para o Conselho de Estado
   
21-11-2019
Transição Digital: governo deve estabelecer metas e prazos
    Filipa Roseta apelou à “coragem política” do executivo para “firmar, cumprir e estabelecer metas e prazos”.
14-11-2019
Grupo Parlamentar do PSD elegeu Coordenadores e Vice-coordenadores
   
10-07-2019
António Costa governa em permanente modo de “reality-show”
    Fernando Negrão acusou o Primeiro-Ministro de falar de um “país virtual”, “para a fotografia”, “pintado de cor-de-rosa”, em que o Governo “fez tudo bem”, mas que é desmentido diariamente pela realidade.
10-07-2019
“O Primeiro-Ministro falhou na proteção da saúde dos portugueses”
    Ricardo Baptista Leite enumerou um conjunto de promessas que António Costa fez e não cumpriu.
10-07-2019
Clara Marques Mendes acusa António Costa de ter voltado a faltar “à verdade aos portugueses”
    Em causa as falhas na regularização dos pagamentos das pensões em atraso por parte da Segurança Social.
10-07-2019
Governo de António Costa é “inimigo do investimento público”
    Emídio Guerreiro disse ao Primeiro-Ministro que “o governo ficará para a história como o que menos investiu”.
10-07-2019
“A Madeira merece tratamento institucional digno e imparcial”
    Rubina Berardo lembrou ao Primeiro-Ministro que “a Madeira é terra de gente livre”.
10-07-2019
António Costa Silva confrontou o Primeiro-Ministro com “a execução desastrosa” dos Fundos Comunitários
    O Vice-Presidente da bancada do PSD revela que há áreas com taxas de execução de 0%.
10-07-2019
Estado da Nação: “um povo contribuinte esmagado, serviços públicos arrasados”
    António Leitão Amaro acusou o Governo de ter falhado nas principais promessas que fez para esta legislatura.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas