Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Maioria carregará fardo de ter desperdiçado oportunidade histórica
No debate sobre o Estado da Nação, o líder do PSD acusou António Costa e a maioria de esquerda de estar a fazer o país andar para trás.
No primeiro debate sobre o Estado da Nação desta nova maioria, Pedro Passos Coelho começou por cumprimentar o Governo e o Primeiro-Ministro por, até hoje, ter tido uma maioria que se tem mostrado coesa e operativa. Sublinhando que as consequências dessa coesão serão mais tarde conhecidas, o líder do PSD prosseguiu a sua intervenção lembrando o ponto de partida deste Governo e lamentando que António Costa tenha procurado reinterpretar a história. Segundo Passos Coelho, no início desta legislatura o país estava confinante de ter encerrado um dos períodos mais difíceis e de ter invertido as tendências que originaram essa situação. “Conseguimos fazer uma correção das contas públicas, conseguimos recuperar economicamente a situação do país, tivemos lugar a alguma recuperação da poupança e lançou-se um conjunto de reformas estruturais importantes para que o país ganhasse competitividade e pudesse sustentar o crescimento para futuro. A situação comportava desequilíbrios e riscos importantes, sabemos que tínhamos e temos o desemprego demasiado elevado, temos níveis de dívida pública e privada significativos, o que significa que numa visão de médio e longo prazo os grandes objetivos deviam ser razoavelmente inquestionáveis. O país devia seguir uma via de desendividamento, devíamos aprofundar as reformas estruturais de maneira a ter uma economia ainda mais aberta e competitiva, precisávamos de atrair e dinamizar o investimento e intensificar o emprego, reforçar a poupança, prosseguir o saneamento financeiro e a consolidação das finanças públicas”.
Contudo, adianta o social-democrata, o Governo e esta maioria fixaram-se no curto prazo e na retórica da inversão da austeridade. “Prometeram um modelo de crescimento económico que era dinamizado pelo consumo e que permitiria um crescimento assente também no investimento público que geraria uma economia mais pujante e mais emprego. Hoje, olhamos para os resultados e sabemos que o desendividamento não chegou a acontecer, as reformas estruturais têm sido revertidas e outras com promessas de reversão, o investimento tem caído a pique e o emprego ou estagna ou destrói-se. Exacerbamos riscos orçamentais, adiamos despesas e aumentam os atrasados. Tudo ao contrário do que era estrategicamente importante para o país”. Face a este cenário, Pedro Passos Coelho é perentório a afirmar que o resultado é claro: “o país está a andar para trás”. “Não vale a pena estar com desculpas esfarrapadas, nem vale a pena estar a ensaiar a rescrição da história, os responsáveis desta maioria carregarão o fardo de terem desperdiçado a oportunidade histórica de recuperar de uma situação muito difícil”, concluiu.

07-07-2016 Partilhar Recomendar
Intervenção de Passos Coelho no debate sobre o Estado da Nação
10-07-2019
António Costa governa em permanente modo de “reality-show”
    Fernando Negrão acusou o Primeiro-Ministro de falar de um “país virtual”, “para a fotografia”, “pintado de cor-de-rosa”, em que o Governo “fez tudo bem”, mas que é desmentido diariamente pela realidade.
10-07-2019
“O Primeiro-Ministro falhou na proteção da saúde dos portugueses”
    Ricardo Baptista Leite enumerou um conjunto de promessas que António Costa fez e não cumpriu.
10-07-2019
Clara Marques Mendes acusa António Costa de ter voltado a faltar “à verdade aos portugueses”
    Em causa as falhas na regularização dos pagamentos das pensões em atraso por parte da Segurança Social.
10-07-2019
Governo de António Costa é “inimigo do investimento público”
    Emídio Guerreiro disse ao Primeiro-Ministro que “o governo ficará para a história como o que menos investiu”.
10-07-2019
“A Madeira merece tratamento institucional digno e imparcial”
    Rubina Berardo lembrou ao Primeiro-Ministro que “a Madeira é terra de gente livre”.
10-07-2019
António Costa Silva confrontou o Primeiro-Ministro com “a execução desastrosa” dos Fundos Comunitários
    O Vice-Presidente da bancada do PSD revela que há áreas com taxas de execução de 0%.
10-07-2019
Estado da Nação: “um povo contribuinte esmagado, serviços públicos arrasados”
    António Leitão Amaro acusou o Governo de ter falhado nas principais promessas que fez para esta legislatura.
13-07-2018
“A realidade não esconde que esta é uma solução governativa esgotada”
    No debate do Estado da Nação, Fernando Negrão frisou que “a natureza desta maioria de esquerda é a do escorpião, não resiste a fazer mal quando pode e promete fazer bem”.
12-07-2017
“O País precisa de liderança e de objetivos mobilizadores. Ficar à espera de melhores ventos e da sorte não chega”
    No debate sobre o Estado da Nação, Passos Coelho afirmou que “bastou uma série de eventos imprevistos” para o governo mostrar toda a sua insuficiência, desorientação e desarticulação”.
12-07-2017
Ministro da Saúde vive do trabalho do anterior governo
    Miguel Santos lembrou ao governante que os resultados anunciados são fruto das políticas implementadas pelo seu antecessor.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas