Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Deputados do PSD questionaram o Ministro da Educação e Ciência
Foram 9 os sociais-democratas que colocaram questões a Nuno Crato.

A política geral do Ministério da Educação e Ciência foi, esta terça-feira, debatida, em sede de Comissão, com o Ministro da Educação e Ciência, Nuno Crato. Amadeu Albergaria, o primeiro deputado do PSD a intervir, começou por saudar o governante por ter chegado a acordo com 6 organizações sindicais sobre o novo Decreto de Lei que regula os concursos para a seleção e recrutamento de pessoal docente.

De seguida, referiu que um dos principais desafios desta legislatura passa por ter capacidade de ouvir, de debater e de chamar as organizações para o processo de decisão, algo que o anterior Governo socialista não demonstrou ao nunca envolver a comunidade educativa e ao criar, constantemente, conflitos. “O seu Ministério definiu uma linha que tem permitido a criação de consensos alargados e a verdadeira marca diferenciativa é esta: é que nós precisamos de um clima de estabilidade e confiança nas Escolas e o senhor Ministro e a sua equipa conseguiu isso num quadro de Governação complexo”.

“O PSD e o senhor Ministro não esquece que é a educação que determina o nosso futuro enquanto país, e apesar de todas estas contingências, a governação tem mostrado que é possível executar reformas estruturais”. Exemplo disso, acrescenta, foi a preparação do novo ano letivo num curto prazo de tempo, a aprovação do novo modelo de avaliação, a criação de um novo regulamento de bolsas para o Ensino Superior e um Orçamento que salvaguarda o essencial.

A terminar a sua intervenção, Amadeu Albergaria pediu esclarecimentos ao Ministro sobre a Reorganização Curricular, sobre o Regime de Autonomia e Administração das Escolas e sobre a seleção e recrutamento do pessoal docente.

De seguida, foi a vez de Manuel Meirinho se focar na Reorganização da Rede das Instituições de Ensino Superior. Tendo em conta os constrangimentos, a sustentabilidade e a fusão que está em curso entre a Universidade Técnica de Lisboa com a Universidade de Lisboa, o social-democrata quis saber se existe, por parte do Ministério, alguma estratégia para esta dimensão de rede do Ensino Superior e se a discussão desta fusão indica que poderá passar por aqui parte da estratégia do Governo, ou se há algum modelo alternativo.

Duarte Marques começou por elogiar a abertura do Ministro no sentido de repensar a discussão sobre a Formação Cívica nas Escolas. Relativamente ao reconhecimento do Ministro de que os custos da Parque Escolar subiram 400% em relação ao valor previsto, o deputado frisou que muita das coisas que o descaramento do PS agora exige poderia ter resposta se este dinheiro não fosse assim desperdiçado.

Por fim, Duarte Marques recordou que muitos estudantes do Ensino Superior, cujas famílias tinham dívidas à Segurança Social, foram informados que as teriam que regularizar para poderem obter bolsa. Regularizadas essas dúvidas, o parlamentar afirmou que há Serviços de Ação Escolar que dizem que não basta regularizar, tinham que as ter regularizado no devido tempo. O social-democrata defende que as famílias que regularizaram as dívidas devem ter acesso às bolsas e questionou ao Ministro qual a opinião do Governo.

Após Duarte Marques foi a vez de Rosa Arezes intervir. A deputada concentrou-se no Projeto de Resolução que o PSD apresentou para regular o empréstimo de manuais escolares. “No referido Projeto recomendamos que se promova a igualdade de oportunidades e equidade no acesso aos manuais escolares, que se crie a obrigação dos alunos beneficiários da ação social escolar que recebam manuais os devolvam no final do ciclo e que se promova e acautele a responsabilidade individual dos alunos e dos encarregados de educação na sua utilização”. Posto isto, a social-democrata questionou a Nuno Crato qual o ponto de situação desta proposta e se o Executivo está em condições de garantir que esta matéria estará resolvida já no próximo ano letivo.

Seguiu-se Maria Ester Vargas que se referiu às transferências financeiras para os municípios devido aos transportes escolares e quis saber qual o ponto de situação em relação a estes pagamentos e a possíveis atrasos que se estejam a registar.

Margarida Almeida, a interveniente subsequente, concentrou-se no ensino especial. A parlamentar quis saber qual a atuação do Governo em relação à formação dos pressores de ensino especial e dos assistentes operacionais, em relação à intervenção precoce e o que o Ministério pensa fazer para melhorar os processos de transição da vida pós escolar das crianças com necessidades educativas.

Cinete da forma profunda, concertada e estruturada da forma como Governo está a levar a cabo o processo de revisão curricular, Maria José Castelo Branco questionou em que ponto se encontra a concretização de metas de aprendizagem disciplinares e se serão definidas metas finais de ciclo de ensino e aprendizagem transversais. A deputada perguntou, ainda, se Nuno Crato já tem ideia sobre os níveis de autonomia que serão atribuídos às escolas e aos professores.

Quase a concluir as intervenções do PSD esteve Ana Sofia Bettencourt. A deputada, e Diretora de uma Escola Profissional, referiu-se a este tipo de escolas, recordando a sua história e a sua missão e perguntou qual a matriz que o Governo tem definida para esta área e o que podem as Escolas esperar do Ministério.

Por fim, foi a vez de Emídio Guerreiro intervir. O Vice-Presidente da bancada do PSD destacou a capacidade que este Governo tem tido em dialogar com as instituições, em dialogar com os parceiros, em mobilizá-los para atingir soluções que beneficiem todos os portugueses, dando exemplo de vários acordos já alcançados e que demonstram que este Governo, ao contrário do socialista, esteve a ouvir as pessoas e a incorporar as suas propostas.

O social-democrata criticou a manipulação dos números feito pelos partidos da oposição, em especial pelo BE, e acusou os socialistas de terem vergonha do seu passado e quererem fazer esquecer a herança de quem, nos últimos 15 anos, governou 12.

06-03-2012 Partilhar Recomendar
Manuel Meirinho questiona Ministro da Educação
Duarte Marques questiona Ministro da Educação
Rosa Arezes questiona Ministro da Educação
Maria Ester Vargas questiona Ministro da Educação
Margarida Almeida questiona Ministro da Educação
Maria Castelo Branco questiona Ministro da Educação
Ana Sofia Bettencourt questiona Ministro da Educação
Emídio Guerreiro questiona Ministro da Educação
18-05-2020
Acesso universal às plataformas digitais no ensino já no próximo ano letivo
   
14-05-2020
Alunos do 11.º e 12.º anos podem ficar sem transporte no regresso às escolas
    Os social-democratas recordam os alertas de entidades, operadoras e municípios de todo o país que “afirmam não ter uma resposta capaz para os estudantes”.
06-05-2020
Escolas devem ter todas as condições sanitárias necessárias para a reabertura
    O PSD questionou o Governo sobre que medidas estão a ser tomadas para a nova realidade das escolas.
06-05-2020
Direitos dos alunos não podem ser colocados em causa
    António Cunha deixou uma palavra de apreço para com as escolas, os seus diretores e corpo docente, pois estes têm sido inteligentes e diligentes na resolução dos problemas das escolas.
29-04-2020
Remoção de amianto das escolas é fundamental para proteger a saúde pública
    Filipa Roseta exorta o Governo para que faça o levantamento exaustivo dos edifícios públicos que contêm amianto e que realize obras de remoção.
21-04-2020
Telescola deixa de fora alunos com necessidades específicas
    O PSD questionou o ministro da Educação sobre os apoios que estão a ser prestados no ensino à distância para alunos com necessidades específicas.
11-03-2020
Educação: governo deve avaliar a criação de um grupo de recrutamento da Intervenção Precoce
    Carla Madureira lembra que é ao governo que compete organizar os concursos de docentes.
05-03-2020
Grupo de Recrutamento nas áreas da Expressão Dramática e do Teatro não é prioritário para o Governo
    Gabriela Fonseca refere que esta postura do governo origina várias situações de precariedade.
28-02-2020
“O défice de qualificações da população é um problema que continua bem presente”
    Para Ofélia Ramos este é talvez o desafio mais estruturante e estratégico para o futuro do país.
14-02-2020
Carla Madureira: é preciso garantir mais justiça e equidade aos docentes contratados com horários incompletos
    A deputada entende que “é tempo de o governo assumir o compromisso de garantir um tratamento justo destes profissionais”.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
02-06-2020 Comissões parlamentares
03-06-2020 Debate quinzenal com o Primeiro-Ministro
03-06-2020 Comissões parlamentares
04-06-2020 Sessão Plenária
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas