Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
“Orçamento não tem estratégia e não tem futuro”
Emília Cerqueira registou ainda a “contrição pública” de Catarina Martins.
Após assistir à intervenção de Catarina Martins no debate do Orçamento do Estado, Emília Cerqueira afirmou que os portugueses viram um “exercício não sei se de arrependimento se de amnésia seletiva”. De acordo com a deputada, a bloquista antes esqueceu-se do que aconteceu até 2011, mas agora parece também já ter “passado uma esponja” no que fizeram nos últimos 4 anos. “Vejo-a hoje, qual carpideira, a chorar pelos serviços públicos, pela saúde, pela habitação, por tudo aquilo que não foi feito na anterior legislatura em que fizeram parte da solução governativa e aprovaram 4 orçamentos”, referiu.
Registando a “contrição pública” da coordenadora bloquista, que fala em apostar na saúde, nos serviços públicos, na educação, transportes, Emília Cerqueira afirmou que agora... (ver mais)
Partilhar  
“Este é um Orçamento sem ambição, sem visão de futuro, sem estratégia, sem rumo e sem responsabilidade”
Luís Leite Ramos fala numa “peça literária de pura ficção”.
Luís Leite Ramos recorreu à sabedoria popular para caracterizar a intervenção socialista no debate do Orçamento do Estado para 2020. De acordo com o Vice-Presidente da bancada do PSD, o tom entusiasta dos socialistas faz lembrar o ditado «olha para o que eu digo não olhes para o que eu faço». “Olhar para as suas afirmações sobre o Orçamento e olhar para aquilo que foram os 4 anos de execução dos anteriores orçamentos deixa-nos muito preocupados e perplexos. O senhor falou em menos impostos e melhores serviços públicos, mas olhando para o passado outro ditado popular vem à cabeça: «gato escaldado de água fria tem medo». Os portugueses estão escaldados com 4 anos de cortes e cativações, malabarismos contabilísticos, mais impostos e menos investimento público e só podem... (ver mais)
Partilhar  
Carlos Peixoto assinala consequências das cativações nas forças de segurança
O Vice-Presidente da bancada do PSD fala num “quadro negro”.
“Depois de duas semanas em que se multiplicaram as agressões a profissionais de saúde nos hospitais deste país e em que se assassinou um jovem numa das ruas mais movimentadas de Bragança e um outro, em Lisboa, junto a universidades e a estabelecimentos de restauração muito frequentados, é impressionante que, até agora, não tenhamos ouvido uma palavra por parte do PS relativamente a segurança ou forças de segurança, ou falta delas. Falar em segurança e força de segurança é falar em investimento público que é aquilo que os senhores não fizeram nos últimos anos”. Foi com estas palavras que Carlos Peixoto iniciou a sua intervenção, esta quinta-feira, no debate na generalidade do Orçamento do Estado para 2020.
Depois de abordar as consequências das cativações no setor... (ver mais)
Partilhar  
“Orçamento representa uma total ausência de ambição e de compromisso com o futuro”
Afonso Oliveira atestou que este é um “Orçamento de desistência”.
“O Orçamento do Estado para 2020 é apresentado por este Governo como um Orçamento de continuidade. Continuidade, neste Orçamento, representa uma total ausência de ambição, ausência de compromisso com o futuro, uma omissão de responsabilidades. E abdicar de uma estratégia para Portugal e para os portugueses é abdicar do futuro”. Foram estas as palavras iniciais de Afonso Oliveira, esta quinta-feira, no debate na generalidade do Orçamento do Estado para 2020.
De seguida, o parlamentar recordou depois de um mandato do governo da gerigonça que apregoa o maior crescimento do século, Portugal regrediu e ficou mais pobre. “O que isto quer dizer é que não estamos em trajetória de convergência, mas de divergência face à Europa. Esta é a realidade e nós sabemos bem que olhar... (ver mais)
Partilhar  
Álvaro Almeida: a saúde não é uma prioridade deste Orçamento
O deputado considera que “o SNS está pior hoje do que estava quando o anterior governo socialista tomou posse”.
Álvaro Almeida saudou a mudança de opção política do Primeiro-Ministro por, contrariamente ao que acontecia em orçamentos anteriores, definir a saúde como a principal prioridade. De acordo com o deputado, esta elevação da saúde a prioridade não foi uma surpresa porque desde as eleições temos visto vários dirigentes socialistas a reconhecer publicamente aquilo que o PSD vinha denunciando há muito tempo e que os portugueses sabem há muito: “a governação do PS causou sérios danos ao SNS e que o SNS está pior hoje do que estava quando o anterior governo socialista tomou posse”.
Tendo em conta este anúncio, Álvaro Almeida saudou António Costa por essa opção política, por finamente reconhecer que existe um problema e declarar a intenção de reverter esta situação. “Já o... (ver mais)
Partilhar  
“Costalândia” ou “Centenolândia”: Duarte Pacheco diz que Governo apresentou país imaginário
O deputado confrontou o Primeiro-Ministro com o retrato do país real que sofre com o aumento da carga fiscal.
Duarte Pacheco acusou António Costa de se apresentar no debate do Orçamento a falar de um país imaginário que o social-democrata não sabe se chama de “Costalândia ou Centenolândia”.
No debate na generalidade do Orçamento do Estado para 2020, o parlamentar frisou que Portugal tem “um Orçamento que aumenta 15 impostos, que cria novas contribuições, que atualiza o IRS abaixo da inflação, mas o governo acha que todos estes impostos são pagos pelos extraterrestres e, por isso, a carga fiscal não aumenta. Este país imaginário é aquele em que 590 milhões de euros da despesa desaparecem e o Primeiro-Ministro não tem qualquer explicação, provando a falta de rigor da peça orçamental que apresenta aos portugueses”.
Adianta o parlamentar que esse país imaginário é aquele em... (ver mais)
Partilhar  
Rui Rio: “o melhor Orçamento” para o Governo “é aquele que tem mais carga fiscal”
O Presidente do PSD criticou ainda o facto de o Governo “não apostar nas pequenas e médias empresas” e de ignorar o “reforço da poupança”.
Sublinhado a “falta de sentido estratégico” do Orçamento do Estado para 2020, Rui Rio acusou António Costa de apresentar um Orçamento que aumenta a carga fiscal em 0,2% do PIB. “Isto significa que os portugueses vão pagar mais 434 milhões de euros de impostos”, referiu.
No debate na generalidade do Orçamento do Estado para 2020, o líder do PSD criticou o Primeiro-Ministro por considerar que o seu melhor Orçamento é aquele que contém “maior carga fiscal” e recordou que os socialistas atacaram o brutal aumento de impostos que houve no tempo da troika. Contudo, “de lá para cá os senhores já fizeram mais 5 aumentos de impostos, o que dá um aumento de impostos brutal em cima daquilo que os senhores criticaram”. O resultado está à vista: “a classe média em Portugal anda... (ver mais)
Partilhar  
PSD denuncia indústria de intermediários graças a dificuldades nos consulados no Brasil
Os sociais-democratas alertam que o acesso ao sistema de agendamento de atos de registo civil e de nacionalidades é praticamente impossível.
O PSD denunciou a proliferação de “uma verdadeira indústria de intermediários” que resulta das dificuldades de acesso dos portugueses ao agendamento de atos consulares em vários postos no Brasil e questionou o Governo sobre esta matéria.
Numa pergunta dirigida ao ministro dos Negócios Estrangeiros, os deputados José Cesário, ex-secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, e Carlos Alberto Gonçalves dão conta de constrangimentos no funcionamento dos consulados no Brasil, particularmente no Consulado Geral de São Paulo.
“O acesso ao sistema de agendamento de atos de registo civil e de nacionalidades é praticamente impossível para qualquer cidadão normal”, lê-se no texto... (ver mais)
Partilhar  
PSD defende a existência de uma rede de cuidados de hemodiálise adequada às necessidades das populações
Hugo Oliveira fala numa rede de proximidade e com cobertura geográfica alargada.
Hugo Oliveira anunciou que o PSD defende a existência de uma rede de cuidados de hemodiálise adequada às necessidades das populações. No debate de uma Petição que solicitava a concessão de uma convenção para o Centro Médico de Diálise da Benedita, em Alcobaça, o deputado recordou que a referida unidade obteve já, no final do passado mês de julho, a convenção de que necessitava para poder iniciar a prestação desses tratamentos de diálise aos doentes que deles necessitam na região, e que serão em número superior a uma centena.
Reconhecendo que esta foi uma boa notícia, o parlamentar prosseguiu a sua intervenção lembrando “os enormes desafios que se colocam ainda no nosso País em termos de doença renal crónica, para mais sabendo-se que as estimativas apontam para que... (ver mais)
Partilhar  
PAN procura denegrir o mundo rural
Crítico da postura do PAN, João Moura fez uma defesa acérrima do mundo rural.
João Moura manifestou o total apoio do PSD a iniciativas que visem a promoção do bem-estar animal. No debate de uma Petição que solicita a criação de legislação para locais de acolhimento de animais de quinta e selvagens, esta sexta-feira, o deputado ressalvou, contudo, que tratar animais de quinta e de exploração de igual forma aos animais de companhia, não parece de todo correto. “A Petição serve para manifestar e revelar que há, de facto, situações de maus-tratos de animais, há situações em que os animais têm um mau acolhimento, mas também serve para relevar que os serviços do Ministério da Agricultura não estão a funcionar como deviam e não estão a acompanhar como deviam. Há que relevar que os serviços de fiscalização das forças de segurança não têm os meios... (ver mais)
Partilhar  
Início Anterior Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas